Quanto custa morar sozinho? Nós contamos para você!

Por Redação IQ 360

Morar sozinho pode ser uma decisão bastante difícil, marcando geralmente a transição para a vida adulta, quando uma pessoa mais jovem decide deixar a casa dos pais. Mas outros motivos podem levar uma pessoa que nunca viveu sozinha a tomar essa decisão, como um divórcio, por exemplo. A questão é que é preciso planejamento para arcar com todas as despesas de uma casa, e é sobre isso que vamos tratar neste artigo.

Por que morar sozinho

Morar sozinho é uma questão de autonomia, liberdade e responsabilidade. É uma forma de ser dono de si e independente. Principalmente quando a questão é sair da casa dos pais, essa mudança traz uma grande maturidade às pessoas e, principalmente, auxilia a dar o real valor ao dinheiro e a tudo relacionado a finanças pessoais. Por isso, é preciso planejar muito bem essa transição, e saber se você realmente está preparado para isso.

Quanto custa morar sozinho

A resposta à questão “Quanto custa morar sozinho?” não é uma só e depende de uma série de fatores, principalmente ligados ao estilo de vida que você quer ter – a região que irá morar, que tipo de alimentação irá fazer etc. No entanto, os gastos básicos de morar sozinho geralmente são:

Aluguel e condomínio

Uma pessoa que vai morar sozinha pela primeira vez geralmente não tem capital suficiente para a compra de um local para viver. Portanto, será preciso pagar aluguel. E esse valor varia muito de cidade para cidade, de região para região. Mas prepare-se para gastar uma boa parte de sua renda com isso. Economistas afirmam que o valor do aluguel não deve passar de 20% de sua renda mensal, sendo aceitável um valor maior apenas se os benefícios forem maiores, como morar perto do trabalho, por exemplo. E atenção para o condomínio de apartamentos: eles estão chegando perto do valor do aluguel em muitos casos. É preciso observar esse valor e o que está incluso nele. 

Água, luz e gás

Alguns desses itens podem estar incluídos no condomínio, outros não. Para uma pessoa sozinha, esses valores não costumam ser muito altos, a menos que se utilize muitos eletrodomésticos, como ar condicionado, por exemplo. 

Telefone, internet e TV a cabo

Atualmente, principalmente a internet e a telefonia móvel são considerados itens básicos. Muitas empresas vendem esse pacote como um combo, o que pode sair mais barato.

Alimentação

Esse é outro gasto que pode abocanhar boa parte de sua renda, mesmo morando sozinho, e principalmente se a opção for por comer fora ou pedir delivery diariamente. 

Quer morar sozinho? Prepare-se para mudança!

Agora que você já sabe quanto custa morar sozinho, saiba como planejar essa mudança para manter a sua vida financeira saudável:

Aprenda a realizar afazeres domésticos

Se você for se alimentar em restaurantes ou por delivery, mandar a roupa para lavanderias ou contratar uma empregada doméstica, sua mudança pode sair muito caro e sua vida financeira pode ir rapidamente para o brejo. Assim, aprenda a realizar essas tarefas. Cozinhe, limpe, lave e passe suas roupas.

Saiba exatamente quais serão os seus custos

O planejamento é a parte mais importante dessa mudança. Você precisa ter certeza de que vai conseguir arcar com todos os custos. Assim, liste tudo o que você precisará custear por mês, o que é realmente necessário e o que pode ser cortado. Tenha sempre em vista uma margem de erro, já que esses custos podem se mostrar, logo no início dessa transição, mais altos do que você pensava. 

Procure manter uma reserva de emergência

Imprevistos acontecem o tempo todo, principalmente quando se mora sozinho. A TV quebra, a descarga não funciona, o chuveiro estraga… Assim, manter uma reserva de emergência é essencial. Idealmente, segundo especialistas, essa reserva deve ser entre três e seis salários. No entanto, o importante mesmo é separar algum dinheiro mensalmente e guardá-lo para eventualidades. 

Pague as contas em dia!

Esteja a par das suas contas sempre e as pague em dia. Perder o prazo das contas pode gerar multas, o corte de serviços básicos e colocar em perigo sua saúde financeira.

> Conheça aqui dicas de economia doméstica

Quer saber mais sobre finanças pessoais? Acesse outros assuntos do blog do IQ!