O que é gestão financeira e dicas para fazer

Por Redação IQ 360

fazer-gestao-financeira

Quando o assunto é saúde financeira, não apenas pessoas jurídicas como também físicas precisam estar atentas. Nesse sentido, é fundamental saber o que é gestão financeira e adotar práticas que vão ajudar você a administrar a sua renda.

Desse modo, a gestão nada mais é que o controle de algo e, nesse caso, o dinheiro. Existem pessoas que não sabem cuidar eficientemente das suas finanças e acabam acumulando dívidas em vez de conseguir juntar dinheiro todo mês para fazer investimentos, por exemplo.

Se você é uma delas, chegou ao lugar certo, pois vamos explicar o que é gestão financeira e como adotá-la na prática. Confira!

O que é gestão financeira?

A gestão financeira envolve todas as etapas do cuidado do seu dinheiro. No caso de uma empresa, ela serve para que o empreendedor possa tomar decisões por meio da análise e controle das atividades financeiras, o que maximiza os resultados monetários.

Já em relação à pessoa física, esse termo diz respeito à organização da sua vida financeira, ou seja, contagem do dinheiro que entra e sai, noção das contas a pagar, gastos fixos, tamanho da dívida, prazo para os pagamentos, dentre outros detalhes.

Desse modo, você deve anotar até mesmo o salgado ou o café que comprou na rua, pois, na gestão financeira, por menor que seja o valor, ele deve ser contabilizado para que seja possível ter uma noção profunda da situação atual das suas finanças.

Existem muitos gastos que, durante o dia a dia, não percebemos, mas, no final do mês, eles fazem diferença no orçamento. Por isso, gerir a sua renda é ter conhecimento sobre como ela está sendo usada atualmente e, desse modo, começar a utilizá-la de modo otimizado.

Quais são os objetivos da gestão financeira?

Por meio da gestão financeira, você consegue equilibrar as suas finanças, já que tem o conhecimento exato sobre a sua receita e a sua despesa, possibilitando, assim, a eliminação de gastos supérfluos.

Além disso, essa gestão permite ter uma noção realista da sua saúde financeira, o que auxilia na correção e prevenção de erros. Outro objetivo desse cuidado é possibilitar que você consiga, até mesmo, fazer previsões orçamentárias, dificultando que sofra com o endividamento, por exemplo.

A gestão financeira também auxilia na criação de estratégias para melhorar a sua relação com o dinheiro. Desse modo, ela também ajuda na elaboração de metas para a sua vida, como comprar uma casa ou um carro, que necessitam de prévio planejamento orçamentário.

Passo a passo para fazer gestão financeira

Agora que você já sabe o que é gestão financeira e por que aderi-la, é necessário saber como fazer isso na prática. Então, selecionamos alguns passos que devem ser seguidos nesse processo. Veja logo abaixo quais são eles!

1. Faça o controle dos gastos

Se você não tem o costume de anotar os seus gastos fixos e variáveis, isso deve mudar. Na busca por uma gestão financeira eficiente, é necessário anotar tudo que você compra ou paga, independentemente do valor.

Isso pode ser feito por meio de aplicativos no celular, planilhas no computador ou até mesmo no caderno. O que importa é registrar o tipo de gasto, o valor e a data de realização.

Esse controle precisa ser realizado mensalmente, pois, desse modo, você consegue identificar onde gasta o seu dinheiro. Além disso, esse monitoramento possibilita que os gastos não ultrapassem as suas receitas, o que é fundamental para pessoas que se endividam, mas não sabem por quê.

2. Corte os gastos supérfluos

Ao ter noção de como está a sua situação financeira atual, é possível elaborar planos para começar a cortar os gastos supérfluos. Ou seja, a compra desnecessária de uma roupa ou sapato, as saídas em todos os finais de semana do mês, a compra de aparelhos de última tecnologia.

Nessa etapa, entra o controle do impulso, que pode ser um hábito difícil de ser construído no início, mas é importante para melhorar a saúde financeira. Logo, não deixe o consumismo tomar conta de você.

Para isso, quando estiver com vontade de fazer uma compra, espere uma semana ou mais para avaliar se ela realmente faz sentido. Afinal, muitas vezes, pode ser apenas uma vontade momentânea.

3. Elabore metas

Tudo na vida tem um objetivo, não é mesmo? E isso deve acontecer também com o seu dinheiro. Desse modo, pense no que deseja fazer com ele e estabeleça metas para alcançar a quantia ideal para realizar o seu propósito, que pode ser viajar ou comprar um novo eletrodoméstico, por exemplo.

Nesse contexto, é fundamental definir um valor mensal a ser guardado todo mês para esse fim. Ao decidir a finalidade da sua receita, torna-se mais fácil economizar, já que você projetar como vai ser o futuro quando atingir a meta, o que é um fator animador.

De qualquer forma, não esqueça que a meta precisa ser condizente com a sua realidade. Não estabeleça objetivos quase impossíveis de serem alcançados, pois a chance de se frustrar no caminho é maior.

Dicas de gestão financeira

Já destacamos as principais dicas sobre gestão financeira, mas existem algumas que também merecem ser citadas. Se você possui cartão de crédito, saiba que ele pode ser um aliado ou inimigo, dependendo do modo como é utilizado.

Para manter uma boa relação com ele, não esqueça de usá-lo de maneira estratégica, ou seja, quando a compra oferece descontos pelo seu uso. Além disso, parcele apenas quando não houver juros, lembrando de avaliar se as parcelas podem comprometer as suas finanças no futuro.

Outra atenção que você precisa ter é em relação à projeção das despesas. Nesse caso, devem entrar os gastos que já são fixos, como contas de IPTU e IPVA, inserindo-os na planilha mensal ao dividi-los em doze vezes. Assim, é possível estar bem preparado quando essas contas aparecerem.

Com as dicas apresentadas neste artigo, você não tem mais desculpas para não saber o que é gestão financeira e como implementá-la na sua rotina, certo? Desse modo, prepara-se para ter uma vida com finanças em dia e sem maiores dores de cabeça por conta do dinheiro.

Gostou deste conteúdo? Então, acesse o site do iq e confira outros artigos sobre finanças.