6 dicas para organizar as finanças do casal

Por Redação IQ 360

organizar-financas-do-casal

O livro Casais inteligentes enriquecem juntos, do consultor financeiro Gustavo Cerbasi, tornou-se um dos maiores best-sellers dos anos 2000, ao abordar a forma como casais lidam com dinheiro e como é possível driblar as dificuldades financeiras para ter uma vida a dois confortável no presente e no futuro.

Quando se trata de finanças para casal, é sempre importante partir do princípio de que tudo o que será feito deve ser uma soma para ambos, mas sem comprometer as necessidades e os objetivos de cada um.

Isso significa, por exemplo, poupar juntos para comprar uma casa própria, porém, não deixar que todos os itens de desejo pessoal sejam sacrificados em prol do coletivo. Com organização e diálogo, é possível ter uma vida financeira estável, proveitosa e que traga benefícios para ambos.

Converse abertamente com o(a) parceiro(a)

Como em todo planejamento financeiro, é essencial estabelecer objetivos e metas; no entanto, tudo deve ser feito em conjunto. Para isso, um diálogo honesto e aberto é a chave para o sucesso. É preciso sentar e conversar sobre aquilo que vai ser feito.

É importante ouvir com cautela os planos do cônjuge e sempre ter em mente que  os objetivos pessoais do outro também são válidos. Não é porque uma viagem internacional não é importante para um que o(a) parceiro(a) deve abrir mão disso, caso isso seja  o que ele(a) realmente queira. Se tudo for decidido em conjunto e aceito de forma honesta e factível, é possível chegar a um acordo que trará segurança e estabilidade para todos.

Tanto os objetivos pessoais quanto os conjuntos devem ser apresentados e discutidos entre ambos, até que seja encontrado um meio termo interessante para os dois.

Um carro zero pode esperar até que uma pós-graduação seja concluída, por exemplo. Contudo, a entrada em um apartamento próprio deve acontecer antes de uma viagem esperada.

É importante que tudo esteja bem especificado para, então, decidir como isso poderá ser viabilizado. Ter flexibilidade é essencial nesse momento, mas também é preciso ser firme naquilo que é imprescindível para cada um, de modo que gere um clima agradável e satisfatório na hora de obter as conquistas planejadas.

Ter um diálogo aberto também significa estar atento ao cumprimento dos planos e saber ouvir ou apontar o que não está sendo cumprido. Certifique-se sempre de que o acordo está sendo realizado sem sobressaltos ou dificuldades para o parceiro, mas também não deixe que as dificuldades do dia a dia ou os impulsos de consumo prejudiquem os planos a dois.

Decida como vão dividir as despesas

Uma questão essencial gira em torno da divisão das despesas. É preciso definir se tudo será dividido igualmente ou se será proporcional ao rendimento de cada um. A primeira opção tem a vantagem de ter uma igualdade absoluta, mas prejudica o parceiro que ganha menos e que, consequentemente, terá menos dinheiro para dispor com suas despesas pessoais.

Por outro lado, uma divisão proporcional pode dar um senso de maior comprometimento com as finanças de modo conjunto. Ou seja: não existe fórmula certa para isso, o essencial é dialogar e encontrar as possibilidades que mais se adequam ao perfil dos dois e que serão mais benéficas para as finanças do casal.

Quando o casal tem filhos ou envia dinheiro para suas famílias, as despesas dos dependentes também devem ser consideradas. Lembre-se de que talvez o compromisso possa ser individual, porém, ao final das contas, o relacionamento deve ter cumplicidade e parceria suficientes para que um possa ajudar o outro em momentos de dificuldade.

Tenha uma reserva

Estar sempre preparado para imprevistos é essencial para qualquer questão financeira.

Quando se trata de um casal, é muito importante que haja uma poupança conjunta para os gastos programados ou imprevistos, como também haja liberdade para que o montante possa ser acessado individualmente, em caso de necessidade.

Se achar necessário, pode ser interessante que cada um tenha reservas individuais e possa movimentá-las com maior liberdade, sem prejudicar os planos coletivos ou do cônjuge.

Busque soluções para os problemas ao invés de procurar culpados

Imprevistos acontecem e, nesse caso, não adiantar apontar o culpado. Salvo situações extremas, praticamente tudo o que acontece entre o casal é fruto de uma decisão conjunta e, por isso, deve ser resolvido da mesma forma.

Dívidas que fogem do controle ou investimentos que trouxeram prejuízo são exemplos de situações que podem causar dor de cabeça, tanto para quem se sente prejudicado pela escolha do parceiro quanto para quem causou o descontrole.

Nessas situações, o diálogo é sempre a melhor escolha. É fundamental ouvir o que o outro tem a dizer para resolver o problema e trabalhar em dupla para que tudo seja resolvido. Também é importante não deixar isso afetar outras esferas da vida a dois, já que o problema pode escalonar e atrapalhar a dinâmica do casal.

Tenha uma planilha de gastos

Manter um controle preciso dos gastos é fundamental em qualquer orçamento, e ainda mais importante quando se trata de um esforço coletivo. Ter uma planilha com as receitas e despesas é essencial para controlar as finanças do casal, já que permite ver de maneira objetiva os gastos de cada um e o que foi consumido em conjunto.

Dessa maneira, é fácil entender os pontos em que houve exageros e aqueles que podem ser ampliados. O importante é que os dois estejam comprometidos com a discriminação dos gastos e com as oportunidades de melhoria que podem surgir disso.

Respeite as diferenças

Quando se fala em finanças para casal, as contas de cada um sempre vão ser diferentes. Um plano de internet para o celular pode ser prioridade para um e algo supérfluo para outro, enquanto refeições fora de casa podem ser o inverso.

É preciso respeitar essas diferenças e garantir que as necessidades individuais sejam respeitadas. Para isso, utilize aplicativos de controle de gastos e pagamentos de contas, como o iq, e faça com que os gastos conjuntos – como aluguel e despesas da casa – sejam pagos modo rápido e prático, evitando possíveis atritos e discussões entre o casal.

As informações foram úteis?

0 / 5 (0 avaliação)