Como organizar sua vida financeira? O que fazer e o que não fazer!

Por Redação IQ 360

aprender-a-se-organizar-financeiramente

Grande parte da população brasileira se encontra endividada. Com a corda no pescoço, muitos não vislumbram uma possibilidade de mudança e, ainda assim, continuam com hábitos financeiros viciados, ruins.

O descontrole financeiro é lugar comum entre os brazucas que compram mais do que podem, gastam mais do que têm e não administram suas finanças considerando o futuro.

Para que seja possível sair desse ciclo de dívidas, é necessário tomar atitudes rápidas e objetivas. Entre elas, é preciso se organizar financeiramente.

Mas só de falar em se organizar financeiramente pode dar um calafrio na espinha de qualquer um. Afinal de contas, pode ser difícil considerar uma organização financeira no meio do caos de algumas dívidas.

Por isso, estamos aqui para dar dicas simples, porém, se observadas e seguidas, podem ser vetor de mudança para sua saúde financeira, para que você saiba como se organizar financeiramente.

Anotar gastos? Sim!

É de extrema importância que você diga sim ao controle de todos os gastos que faz. Uma coisa muito comum entre os brasileiros é que eles vão gastando no cartão de crédito sem pensar no que estão fazendo, e só vão descobrir quando a conta chega em casa ao final do mês.

É necessário, então, que você crie uma planilha de controle de gastos. É necessário que ela contenha o registro de tudo o que você gasta e ganha, e que cada gasto seja categorizado de maneira ordenada. Pode ser que seja uma barra de chocolate, ela precisa ser registrada de maneira adequada.

Nesse sentido, nós da IQ oferecemos os serviços necessários para que você possa se organizar da maneira adequada.

Entender o quanto você recebe, quais são as coisas indispensáveis a você e o quanto essas coisas essenciais custam vai lhe dar uma condição de análise muito melhor.

Nessas despesas essenciais estão os gastos de casa comuns, água, luz, gás, alimentação. O preço da sua faculdade e de cursos precisa estar incluído nessa categoria, afinal de contas, sem aprimoramento pessoal pode ser que quaisquer outros cuidados financeiros se tornem vãos.

Vale lembrar que aqui pode entrar o lazer também, se a cervejinha de final de semana é importante, ela deve ser colocada na ponta do lápis, assim, você terá uma melhor noção de como se organizar financeiramente

Gastar conforme o necessário? Não!

Tudo o que for comprar precisa ser pensado com antecedência e encaixado nas possibilidades do seu salário.

Se for comprar um sofá, que não seja de última hora, mas sim parte de um plano de gastos organizado previamente.

Cada vez que você for tirar dinheiro do bolso, precisa estar dentro desse planejamento, caso contrário, pode ser que você se atrapalhe na hora de organizar seu salário.

É muito importante que você tenha força de vontade para se segurar quando ver aquele acessório para o carro que você achou legal, ou aquela blusinha branca para combinar no armário com as outras 15 blusinhas brancas que você tem.

Se você sabe que não há necessidade de adquirir o produto, não compre. Isso vai salvar dinheiro para as coisas que realmente importam.

Pode parecer óbvio, mas é de extrema importância que a sua receita contemple seus gastos. Caso contrário, você gerará uma bola de neve e terá dificuldade para derretê-la. Isso faz parte de como se organizar financeiramente.

Nós sabemos que, por mais óbvio que seja, esse é um passo difícil de seguir, mas também essencial para a sua saúde financeira.

Tentar unificar dívidas? Sim!

Na hora de pensar em como se organizar financeiramente, é necessário que você pague suas dívidas. Para tanto, é necessário que você tente, de alguma maneira, encontrar capital com menos juros.

Se alguém de sua família puder emprestar dinheiro e receber parcelado para que você possa quitar suas dívidas, pode ser melhor do que deixá-las gerando juros incansavelmente.

Tentar conseguir trabalhos extras, apenas para esse momento de quitação de dívidas, pode ser uma ótima ideia também. Por mais cansativo que seja, às vezes é necessário apenas por uma fase.

É importante que você se aprimore e esteja atento a oportunidades de fazer dinheiro. Nenhuma dessas dicas funciona se você não estiver dedicado a estudar e trabalhar para gerar receita.

Por esse motivo, colocamos os estudos como gasto essencial, lá em cima. Na maioria dos casos, um curso de inglês é muito mais necessário do que uma camisa de grife nova. Considere aprimoramento como prioridade

Pagar dívidas mais baixas primeiro? Não!

Instintivamente, tentamos resolver as dívidas mais baratas, porque elas estão mais à mão do que as dívidas mais caras. Mas isso é um erro e pode ser fatal.

As dívidas maiores geram mais juros e, portanto, aumentam o tamanho da bola de neve de contas a pagar. Sempre tente pagar as dívidas mais altas primeiro, para que elas não acumulem juros exponencialmente.

Ainda, sempre que for comprar algo de valor elevado, tente pagar à vista. É claro que nem sempre isso é possível, mas é muito importante que você não se envolva em parcelamentos muito longos e se esforce ao máximo para comprar à vista.

Isso ajuda no seu planejamento e não deixa aquela barriga de gastos em seu cartão todo o mês.

Poupar sempre? Sim!

Sempre que puder, guarde seu dinheiro. Isso mesmo, é aquela dica de vó e mãe que nos irrita quando pequeninos, mas que, ao longo da nossa vida adulta, é de extrema importância.

É de extrema importância que você tenha recursos na hora da crise, e só poderá gerar esses recursos quando perceber que é imprescindível guardar o seu dinheiro.

Além dessas dicas, vale a pena separar parte do seu dinheiro para investir. Isso fará com que seu dinheiro renda mais e você possa gozar de uma receita maior ou mesmo se planejar para grandes aquisições utilizando o dinheiro investido.