Como sair das dívidas? 5 dicas infalíveis!

Por Redação IQ 360

Como-sair-das-dívidas

Ninguém gosta de ficar endividado, isso é bem verdade. O problema é que, mais que a metade dos brasileiros, hoje, se encontram numa bola de neve de dívidas. Carro, casa, celular, aquele móvel novo. São alguns dos produtos e fatores que fazem com que o cidadão do Brasil acabe se perdendo nos gastos.

O que piora esse cenário é que o brasileiro, de modo geral, não tem uma educação financeira desde o berço. É praticamente algo da cultura viver de pagamento em pagamento.

Para que isso seja evitado, é necessário que haja planejamento financeiro adequado, isso ajuda a entender seus gastos, evita compras impulsivas e te dá uma maior compreensão de seus recursos.

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), que é realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aproximadamente 60% dos brasileiros estão endividados, 24% têm contas atrasadas e 10% não terão condições de pagar as dívidas.

Como ninguém quer e gosta de ficar devendo, nem é o que deveria acontecer mesmo, nós estamos aqui para te dar dicas de como sair das dívidas. Fique ligado, são dicas simples, mas que fazem toda a diferença na hora de se sair do sufoco.

Como sair das dívidas?

Para muita gente, pode parecer impossível sair das dívidas. Fato é que, estar endividado é sufocante e pode acabar com a sua saúde financeira. As dívidas dão a impressão de que não podemos fazer mais nada além de trabalhar para pagá-las. E mesmo fazendo isso, elas não acabam nunca.

Mas, é possível sim se livrar desse gigante e, com a postura certa, a atitude de acordo, esse gigante parecerá menor do que parece agora. Vão aqui algumas dicas de como sair das dívidas.

Comece pela organização

Não há outro meio possível. É de extrema necessidade que você organize sua vida financeira antes de pensar em pagar as suas dívidas.

Não adianta começar a entrar em contato com seus credores para negociar suas dívidas se você não tiver uma visão objetivas de sua receita, de seus gastos e necessidades mensais.

É importante que você faça uma planilha que contemple seus gastos e necessidades. O quanto você ganha, com o que precisa inalteradamente gastar recursos (água, luz, alimentação, etc.), o que dá pra deixar de fora.

Tudo isso te dá uma visão mais objetiva de seus gastos e faz com que você possa pensar o próximo passo de maneira mais adequada.

Para isso, nós temos uma solução. O iq ajuda você a listar suas movimentações e visualizar facilmente seus gastos. Com uma interface limpa e fácil de utilizar, é possível gerenciar suas contas e ter o controle de seus gastos mensais na palma de sua mão com o aplicativo para dispositivos móveis. É super fácil e simples de usar, e para você que precisa controlar sua vida financeira pode ser a solução que procurava.

Nessa organização, é essencial que você liste suas dívidas de maneira adequada. Faça uma tabela que contemple o valor da dívida (pagamento mensal e o total do valor que se deve), e a taxa de juros envolvida. Isso é fundamental na hora de pensar em como sair das dívidas.

Renegocie com taxas e prazos melhores

Este ponto pode ser o menos agradável e mais desconfortável, mas, é aqui que você entra em contato com seus credores. Essa tarefa não pode ser adiada, pois, cada dia que passa endividado, os juros vão se multiplicando.

Para que este passo flua como deve, é preciso que suas contas já estejam organizadas e você já tenha uma visão ampla e objetiva de seus gastos e sua receita. Assim, você sabe qual tipo de negociação está ao seu alcance e tem mais propriedade na hora de conversar com o credor.

A ele, mostre interesse e determinação em quitar a conta, mas é importante que você deixe claro que precisa da ajuda dele. Tente fazer com que a taxa da negociação seja menor que o juros acumulados, e tente conseguir um prazo mais folgado para quitar suas dívidas.

Um erro comum que as pessoas cometem é de começar a arrumar suas dívidas pelas contas de menor valor, porque elas estão mais à mão, mais fáceis, mais baratas.

Isso é um problema porque as dívidas maiores geram juros maiores e a bola de neve não diminui, continua crescendo.

Priorize compras e gastos essenciais

Essa pode ser difícil, mas é preciso deixar de lado gastos que não sejam essenciais. Caso contrário, você continuará ficando sem dinheiro, e eventualmente não vai conseguir pagar a negociação que fez com o banco.

É só uma fase, tenha determinação e foco. Sem isso, não vai conseguir passar pela prova da negociação das dívidas.

Assim, sempre que ver aquela blusinha que queria, mas tem outras no armário que servem muito bem às suas necessidades de agora, não compre. Tenha foco e lembre-se é só por agora.

Tenha metas

Isso mesmo. Planeje, se organize e tenha metas. As metas te ajudam a não sair do foco e você consegue se organizar de maneira adequada.

Estipule em quanto tempo quer estar livre da dívida, o quanto pode gastar com alimentação por mês, quando quer poder comprar um sofá novo. Tudo isso precisa estar listado nas metas que traçar.

Não se esqueça que, para que o dinheiro continue entrando e você possa pagar suas dívidas, é preciso que você cuide da sua vida profissional e isso precisa ser parte das metas. Faculdades, cursos de línguas, tudo isso te ajuda com mais oportunidades de empregos, ou mesmo a manter o seu, e é um dos pontos cruciais na hora de estabelecer metas.

Crie um fundo de emergência

Depois que a dívida estiver quitada, está valendo gastar como der na telha? Não. Se assim o fizer, pode ser que acumule dívidas novamente.

Então, tenha em mente a organização das suas finanças e crie um fundo de emergência. Imprevistos acontecem, por isso é necessário que você tenha recursos para te ajudar no momento do aperto.

Gostou das dicas? Acesse o site do iq e confira outros artigos sobre finanças.