Bateram no meu carro: o que fazer?

Por Redação IQ 360

Desatenção. Pista molhada. Uma freada mais brusca. As causas que levam a um acidente são tão diversas que mesmo os mais seguros e cautelosos motoristas não estão imunes a um imprevisto no trânsito. 

Pode ser no momento em que se troca de pista, na freada diante do semáforo ou mesmo quando se trafega normalmente na pista correta; certo é que, quando impacto é sentido, a primeira coisa que vem à mente de qualquer um, é “bateram no carro: o que fazer?”.

A verdade é que um acidente de trânsito pode ocorrer a qualquer momento, principalmente quando menos se espera. Mesmo quando o acidente não é grave, a situação requer sempre muita calma: o tráfego de veículos, o possível nervosismo do outro motorista, o próprio susto pela batida: são fatores que contribuem para aumentar a tensão e dificultam a resolução do problema. 

Nessas horas, é fundamental saber todos os passos do que fazer para adotar procedimentos de segurança e evitar maiores prejuízos.

Passo a passo: O que fazer quando batem no seu carro?

Confira os procedimentos de segurança que qualquer motorista deve adotar quando sofre uma colisão:

Verifique se há vítimas
Pare seu veículo e, no caso de haver outros passageiros, verifique se há vítimas feridas. Em caso positivo, peça socorro a outros motoristas (omissão de socorro a vítimas de acidentes é uma infração de trânsito gravíssima) ou pelo número 190.

Tire o veículo da via ou chame o guincho e sinalize
Se nem você nem seus passageiros estiverem feridos e o veículo estiver em condições de rodar, retire-o da via e estacione em local seguro. Impedir a circulação de outros veículos pode gerar uma multa de R$ 130, quatro pontos na CNH e aumentar ainda mais a dor de cabeça: chame um guincho (da seguradora ou da companhia de trânsito da cidade) se não puder tirar seu veículo da via e, enquanto o aguarda, ligue o pisca-alerta e posicione o triângulo de sinalização a 30 metros do veículo.

Converse com o outro motorista
Não adianta discutir: a forma mais eficiente de resolver a situação é com diálogo. Anote os dados do outro veículo e troque contatos com o motorista que bateu em você. Quando o acidente não é grave e não há vítimas, a Polícia Militar não vai até o local e não precisa ser chamada – exceto se os envolvidos começam a brigar ou se um deles apresenta sinais de embriaguez. 

Registre tudo sobre o acidente
Puxe o Smartphone do bolso e tire fotos de todos aspectos do acidente: a condição da pista, os danos que os veículos sofreram, as placas dos veículos, etc. Anote o nome, o telefone e todos os dados que puder conseguir do outro motorista e das testemunhas do acidente. Se o causador do ocorrido tentar escapar da responsabilidade posteriormente, esses dados serão importantes para acioná-lo na Justiça.

Faça um Boletim de Ocorrência (BO)
Apesar de não ser obrigatório, o BO fica registrado como a versão oficial dos fatos e é uma ferramenta crucial no caso de você se ver obrigado a entrar na Justiça para reparar os danos que sofreu – o outro motorista pode, inclusive, registrar seu próprio BO e as duas versões terão que ser confrontadas. O BO deve relatar a cronologia do acidente, as informações sobre os veículos e os dados pessoais dos envolvidos e das testemunhas. Em acidentes sem vítimas e quando a polícia não vai até o local, o Boletim de Ocorrência pode ser feito pela própria Internet ou em qualquer delegacia da PM.

Acione o Seguro
Se o causador do acidente estiver coberto por seguro com cobertura de danos a terceiros, a seguradora em questão deve se responsabilizar pelo conserto. Caso ele não tenha seguro, você pode propor que o outro motorista banque a franquia da sua própria seguradora.

Quem paga o prejuízo?
A responsabilidade é sempre do motorista que causou o acidente ou do proprietário do veículo que esse motorista dirigia. A famosa máxima “quem bate na traseira é sempre culpado” não é 100% verdadeira: apesar de ser o caso na maioria das vezes, há exceções em que o motorista que bateu na traseira do outro carro não pode ser culpado pelo ocorrido. Seguir passo a passo as instruções acima é fundamental para comprovar, se necessário, que a culpa do acidente não foi sua.

O que fazer quando o outro motorista foge do local?

Em alguns casos, quando o culpado pelo acidente foge do local e fica impossibilitado de ser contatado, algumas seguradora isentam o motorista que foi vítima no acidente do pagamento da franquia – porém, ele precisa comprovar sua total falta de responsabilidade pelo ocorrido. Assim, se o outro motorista evade o local, convém tomar algumas medidas:

– Fotografe ou anote a placa do outro veículo: você pode usar a placa para tentar obter mais detalhes sobre o causador da batida no Detran;

– Se não conseguir ver a placa, procure memorizar outros detalhes sobre o veículo – modelo, cor, fabricante – e registre tudo posteriormente no Boletim de Ocorrência;

– Solicite as imagens da via registradas por câmeras no momento do acidente (se houverem) ao órgão responsável pelo trânsito da sua cidade.

– Após registrar o Boletim de Ocorrência e de posse dos dados sobre o outro motorista, envie uma notificação extrajudicial para tentar um acordo amigável ou acione-o no juizado especial.