Stone, a maquininha de cartões que é sucesso na bolsa

Por Redação IQ 360

Receita da Stone aumenta quase 1.500%
A Stone realizou um bem-sucedido IPO em outubro de 2018 e atraiu nomes de peso, como o bilionário Warren Buffett

Pouco mais de um mês após realizar a abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) na Nasdaq, a bolsa eletrônica de Nova York, a Stone Pagamentos surpreendeu o mercado financeiro com os resultados referentes ao terceiro trimestre A empresa dona das maquininhas verdes registrou uma receita líquida de R$ 89,3 milhões entre julho e agosto deste ano, um crescimento de 1.473% sobre o mesmo período do ano passado. Outro destaque foi a crescimento de 127% no número de clientes, que chegou a 234,4 mil. “Percebemos que prover cada vez mais soluções é a melhor forma de manter o cliente, e que isso nos traz um melhor yield”, disse Thiago Piau, CEO da Stone Pagamentos.

Em 25 de outubro de 2018, a Stone fez um bem-sucedido IPO nos Estados Unidos. Um dos maiores atrativos da empresa de maquininhas, concorrente das gigantes Cielo e Rede, foi ter atraído o bilionário Warren Buffett, que adquiriu 11,3% do capital da companhia. A empresa brasileira captou US$ 1,5 bilhão e suas ações estrearam cotadas a US$ 24 no pregão. Mas, após alcançar o topo de US$ 32,5, o papel voltou a negociar perto do preço de lançamento. Em 27 de novembro, a ação da Stone estava valendo US$ 22,8. O valor atual do papel não é um problema. Como uma fintech, a Stone vai se provando aos poucos – como fez nesse terceiro trimestre.

As informações foram úteis?

0 / 5 (0 avaliação)