Por que o pag! conta com você para abrir 4 milhões de contas em 2019

Por Fernanda Santos

Primeira fintech autorizada a emitir um cartão de débito na América Latina sem ser um banco, a empresa tem planos ousados para 2019

O pag! quer abrir milhares de contas em apenas 1 minuto pelo aplicativo. Entenda como a empresa vai bater essa meta

pag fintech servicos financeiros
Conheça o pag! – a fintech que tem tudo que o banco tem, mas não é banco

Para quem ainda vê as fintechs como pequenas empresas financeiras que engatinham à sombra dos bancos, o pag! quer provar por que está sob os holofotes. Uma das primeiras instituições não bancárias a lançar uma conta digital e um cartão de crédito no País, o pag! recebeu, recentemente, a aprovação para emitir o primeiro cartão de débito da América Latina fora de um banco. Com isso, o cliente que baixar o aplicativo e tiver o cadastro e o crédito aprovados podem ter tanto o débito como o crédito em um mesmo cartão. A inovação foi desenvolvida, durante 9 meses, com a bandeira Mastercard.

No total, o pag! já recebeu mais de 3,7 milhões de pedidos de abertura de contas. Dessas, 650 mil foram aprovados. Em 2019, a expectativa é chegar a 4 milhões e aumentar o leque de serviços financeiros oferecidos.

“Vamos fechar o ciclo de crescimento do pag! com um investimento de R$ 150 milhões em 2019. Esse investimento vai ser dividido em pessoas, marketing e lançamento de novos produtos”, diz Felipe Félix, CEO e cofundador do pag! – leia a entrevista completa ao IQ.

Origem da fintech

Fundada por Walter Boina, Giovanni Piana e Felipe Félix em 2016, no Espírito Santo, fintech faz parte do Grupo Avista, que detém  também o Avista Cartões, uma empresa que há duas décadas oferece microcrédito à população de baixa renda.

O objetivo dos fundadores com o pag! era bem definido: criar uma empresa que oferecesse todos os serviços financeiros aos brasileiros, mas que fugisse da estrutura convencional dos bancos, que é muito pesada e burocrática.

“Vemos nomes como CDBs, LCs, LCAs, LCIs e isso tudo distancia as pessoas dos serviços financeiros. Hoje, as pessoas não estão tranquilas ao lidar com o dinheiro. A proposta do pag! é exatamente trazer essa tranquilidade para as pessoas”, diz Félix.

Quais serviços o pag! oferece

Com a inovação como fio condutor, o pag! confia 100% no canal digital. Todos os serviços e o atendimento ao cliente são realizados pela internet. Não existe, por exemplo, um telefone de contato. O atendimento é online, feito pelo chat do aplicativo e funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. “Não existe um telefone de contato. Mas monitoramos  quanto tempo o cliente fica no chat esperando a resposta. Nossa meta é sempre baixar esse tempo”, diz o CEO do pag!

Assim como o relacionamento com o cliente, a abertura de conta é totalmente digital. Para isso, é preciso baixar o aplicativo Meu pag!, disponível para os sistemas iOS e Android, preencher um cadastro e aguardar uma aprovação por e-mail. Uma vez aprovado, o cliente terá acesso a uma conta digital, um cartão de crédito internacional e um cartão de débito. Essa conta digital possui todos os serviços financeiros, como transferências, pagamentos, extratos e saque de dinheiro na rede Banco24Horas. Não há cobrança de taxas, cesta básica de tarifas ou anuidade dos clientes. Os serviços são todos gratuitos, incluindo o saque no caixa eletrônico.

A ideia é que, futuramente, a conta digital e o cartão de débito sejam liberados a clientes que não tiveram o crédito aprovado. “Isso vai mudar um pouco a dinâmica dos nossos produtos”, afirma Félix.

Planos e desafios para 2019

O cofundador do pag! está otimista com o Brasil e com os negócios. Ele acredita que o cenário econômico e que alguns avanços esperados na regulamentação do Banco Central vão beneficiar a atuação das fintechs.

Aproveitando essa onda positiva, o pag! vai anunciar algumas novidades até março. Félix não revela completamente o que está por vir, mas o IQ apurou que a conta remunerada e opções para investimentos dentro da plataforma encabeçam o pacote de novidades.

Para este ano, porém, o maior desafio é fazer com que o usuário consiga abrir uma conta no aplicativo em apenas 1 minuto.

Segundo o CEO da fintech, o pag! vai ser se posicionar bem no mercado financeiro em 2019 e conseguir manter o ritmo de crescimento diante de outras fintechs que também estão fortes. Para isso, ele conta com a experiência e com uma estrutura já consolidada na prestação de serviços financeiros.

“Temos uma instituição de pagamento (para dar crédito), uma instituição financeira e uma corretora que vai proporcionar ao nosso cliente acesso a investimentos dentro da plataforma. O nosso produto é um dos mais completos do mercado hoje”, diz Félix.

Se alguém achava que o pag! estava escondido no Espírito Santo, estava redondamente enganado. Quietinha, a fintech tem conseguido sair à frente das concorrentes.

As informações foram úteis?

0 / 5 (0 avaliação)