Com Rappi Prime é possível economizar mais de R$ 400 por ano

Por Isabela Borrelli

O serviço cobra R$ 19 de mensalidade e inclui entregas ilimitadas de pedidos, que podem incluir produtos de farmácia a supermercado e mais!

Se o cliente fizer uma média de dois pedidos por semana, é possível economizar mais de R$ 400 por mês em comparação a outros serviços de entrega

É inegável que o número de motos e bicicletas de delivery circulando pela cidade de São Paulo se multiplicou em pouco tempo. Entre eles, a mochila de entrega laranja com a marca da Rappi chama a atenção por ter conquistado mais espaço e frequência nos pedidos. Mas não é só nas ruas. No segundo semestre do ano passado, a empresa alcançou o valor de mercado de US$ 1 bilhão e entrou para o grupo seleto de unicórnios mundiais - startups que alcançam essa valorização.

Rappi_unicórnio
UNICÓRNIO: A colombiana Rappi tem valor de mercado maior que US$ 1 bilhão

Sem dúvida, os negócios estão dando certo no Brasil. Das 30 cidades que a startup colombiana atende ao redor do mundo, 15 são brasileiras. A previsão é expandir para mais 15 no País até o fim do ano. O segredo para o sucesso é oferecer mais do que uma entrega de comida. A Rappi entrega absolutamente qualquer coisa. Se o usuário precisa de dinheiro, compra de supermercado, ração para o pet, entre outros, eles entregam.

Para isso, a Rappi trabalha, atualmente, com dois modelos de entrega. Em um deles, se o cliente opta por pedir algo que não seja oferecido no aplicativo, ele paga a entrega, por volta de R$ 7, mais uma taxa de 14% sobre o produto. Mas é no outro modelo, o de assinatura, que fez com que o negócio crescesse assustadoramente.

Conhecido como Rappi Prime, o serviço cobra R$ 19 por mês. O valor que inclui taxas de entrega ilimitadas dos pedidos que o cliente quiser fazer, sem nenhuma outra cobrança. As condições são que as compras sejam acima de R$ 20 e que estejam disponíveis diretamente no aplicativo, ou seja, não estejam na categoria “qualquer coisa”. Caso contrário, a venda é processada fora do Rappi Prime e terá os custos normais (entrega e taxa de 14%).

O serviço Rappi Prime surgiu como uma forma de fidelizar e conquistar novos os clientes e deu certo. O volume de pedidos aumentou 4 vezes.

“A intenção do Rappi Prime é muito mais focar na retenção e escala do usuário. Quando o usuário quebra essa barreira da [taxa da] entrega, ele começa a usufruir cada vez mais dos serviços que a gente tem”, afirma Tiago Barra, diretor de crescimento da Rappi no Brasil.

Mas e aí? Vale a pena?

Depende do tipo de usuário que você é. Se você não é muito adepto aos serviços de entrega e raramente pede delivery, então talvez não seja muito vantajoso. Mas se você pede uma média de três pedidos ou mais por mês, é hora de começar a considerar assinar o Rappi Prime.

Vantagens: economia e praticidade

Segundo uma pesquisa realizada pelo iFood em conjunto com o Ibope, 56% dos consumidores de delivery fazem pedidos semanais. Desses, 14% pedem mais de duas vezes por semana, 18% pedem duas vezes e 24%, uma vez. Se você se encaixa em algum desses perfis, atenção: você pode estar perdendo dinheiro.

Em média, uma entrega geralmente custa R$ 7 ou mais. Fazer dois pedidos por semana resulta em um total de R$ 56 por mês. Assinando o Rappi Prime, sua economia mensal será de R$ 37 ou um total de R$ 444 por ano, dinheiro que poderia ser mais bem aproveitado (e multiplicado) investindo, por exemplo! E, claro, quanto mais você pedir, maior será a sua economia.

Além disso, mesmo se o seu perfil não for de consumir muito delivery, é capaz que seus hábitos mudem depois de assinar o aplicativo. Foi o caso de Felipe Moreno, cliente do Rappi Prime há mais de um ano. “Percebi que se eu focasse todas as minhas necessidades só no aplicativo eu economizaria um bom dinheiro. Com o Rappi Prime, é muito mais vantajoso e cômodo também fazer compras do supermercado por ele. Antes, meu uso do aplicativo era mais ou menos nove vezes por mês. Hoje, eu devo fazer uns 20 pedidos por mês”, diz Moreno.

Desvantagens: é preciso ter paciência

Nem tudo é perfeito. Independentemente do modelo de entrega (prime ou não), a Rappi conta com dois principais tipos de atendentes: os shoppers e os entregadores. Os shoppers são pessoas que ficam a postos nos principais pontos de pedidos, como um supermercado, e selecionam todos os produtos de acordo com a descrição dos clientes. Finalizada a compra, eles entregam o pedido a um entregador, que o leva até o cliente.

Já o entregador tem como principal função levar os pedidos de um lugar ao outro, mas não se resume a isso. Em lugares menores, é comum o próprio entregador selecionar os produtos. Segundo Moreno, nessas ocasiões não é muito difícil o pedido vir errado. “O grande problema da Rappi é a falta de treinamento dos entregadores. O shopper está treinado para saber diferenciar os diversos produtos e até avisa quando não tem. Mas alguns entregadores não são bem treinados e não sabem a diversidade dos produtos. Por exemplo, se eu peço uma batata Pringles tradicional, pode ser que venha outro sabor”, diz o consumidor.

No caso de pedidos errados, há solução! É preciso entrar com uma reclamação até 20 minutos depois da entrega. Em seguida, basta tirar foto do produto e mandar uma mensagem para a central de atendimento contando todos os detalhes. Assim que possível, a equipe entrará em contato para resolver o problema. Tudo isso, claro, sem custo.

As informações foram úteis?

0 / 5 (0 avaliação)