Cetip, a entidade que calcula o CDI

Por Redação IQ 360

Cetip, a entidade que calcula o CDI

É comum, sobretudo para iniciantes no mundo financeiro, encontrar uma série de siglas e referências que não fazem parte do dia a dia. Afinal, os acrônimos são vários, seja quando falamos de títulos, taxas ou órgãos. CDI, COE, CVM, LC, FII e inúmeras outras abreviações que podem confundir alguém que ainda está procurando entender o mercado financeiro. E uma dessas abreviações é a da Cetip, organização que atua como câmara de registro, depósito, negociação e liquidação de títulos de valores mobiliários. Em março de 2017, Cetip e BM&FBovespa concluíram a fusão de suas operações e passaram a formar uma só empresa, a B3.

Neste artigo, vamos mostrar como a Cetip, dentro da B3, funciona: suas funções e importância para o funcionamento do mercado financeiro nacional.

SAIBA+IQ: Você sabe o que faz a Comissão de Valores Mobiliários (CVM)?

Afinal, o que é a Cetip?

A Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos, mais conhecida por Cetip, foi uma empresa de capital aberto responsável pela integração do mercado financeiro em uma plataforma informatizada para registro e negociação no chamado mercado “de balcão”. Hoje, ela desempenha a mesma função, mas como parte da B3.

As operações financeiras passam pelo escrutínio da Cetip, sendo verificadas e fiscalizadas, para avaliar se elas cumprem as regras e normas de mercado, segundo as diretrizes impostas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Banco Central do Brasil.

Em outras palavras, a Cetip tem como funções regular e registrar os depósitos, negociações, transações e liquidações de títulos e valores mobiliários de toda espécie feitas no País. Ou seja, da compra de um título de investimento a uma transação bancária que você faça, é quase certo que vai ter algum envolvimento da Cetip no processo.

A instituição funciona quase como um órgão de segurança, acompanhando e possibilitando que milhões de transações sejam feitas diariamente, entre diferentes instituições e agentes do mercado financeiro.

Essa são funções mais burocráticas, é verdade, mas existem outras. A Cetip é mais famosa para os investidores por ser a entidade que responde pela emissão e cálculo da chamada Taxa de DI, ou CDI, que está presente no dia a dia de qualquer investidor.

SAIBA+IQ: CDI: o que é e como consultar

A Cetip e o CDI: entendendo a relação

O Certificado de Depósito Bancário, ou CDI, é um índice popular utilizado no mercado de renda fixa, que toma como referência as movimentações realizadas entre bancos.

O indicador surgiu com o objetivo de auxiliar os bancos, que com base em uma norma do Banco Central, são obrigados a fechar o dia com saldo positivo. Muitas vezes, para conseguirem cumprir essa determinação, são obrigados a realizar transferências de valores entre eles por meio de Certificados de Depósitos Interbancários, que também podem ser chamados de Depósitos Interfinanceiros (DI). É o jeito de fechar as contas no final de um dia ruim.  

A taxa CDI nasce, então, para determinar o valor dos juros do pagamento dessas transações de equilíbrio de caixa entre os bancos. E a Cetip é o órgão responsável por fiscalizar as movimentações e definir o valor dessa taxa que afeta toda nossa economia.

Entendendo o mercado de balcão - e como é feita a organização pela Cetip

Outro ponto para compreender a importância da Cetip é entender como funciona o chamado mercado de balcão e qual é o trabalho da empresa sobre ele.

Esse tipo de mercado inclui todo tipo de distribuição e operação de compra e venda de títulos negociados fora do ambiente da bolsa tradicional. São as transações que são realizadas diretamente entre partes ou apenas com o intermédio de entidades financeiras, mas sem contar com os mecanismos da Bolsa.

A importância da antiga Cetip, agora sob o nome de B3, é exatamente a de atuar como organizadora desse mercado, oferecendo um ambiente de registro que proporcione segurança e compliance para empresas que negociam títulos no mercado de balcão. Esses papéis incluem todo tipo de ativo mobiliário, como CDBs, RDBs, Letras Hipotecárias, Letras de Câmbio, Debêntures e Swaps diversos.

A Cetip aparece como responsável pela custódia escritural de todos esses ativos e contratos, registrando as operações ocorridas no mercado de balcão e processando a liquidação financeira deles. A plataforma eletrônica proporciona, além de segurança e credibilidade, uma maior facilidade para quem oferta ou adquire títulos desse modo.

SAIBA+IQ: Quer saber como ficar rico? Conheça a Filosofia IQ de Investimentos (FIQI)

Calculadora Cetip: como simular os valores do CDI

Para aqueles que buscam saber como anda o CDI, seja por investimentos atrelados à taxa ou por curiosidade, a Cetip também oferece uma calculadora para a taxa DI. Com ela, é possível não só acompanhar as séries históricas da taxa, mas também realizar simulações.

cetip-calculadora-di

A calculadora DI funciona de maneira simples: basta entrar com as datas inicial e final da aplicação em renda fixa, o percentual e o valor da aplicação, e clicar no botão “Calcular”.

A Cetip ainda oferece um aplicativo para dispositivos móveis que oferece as mesmas funcionalidades e permite acompanhar a Taxa de DI – o Applica Cetip.

As certificações pelo CETIP Certifica

A Cetip atualmente oferece uma certificação chamada Cetip Certifica. Esse certificado comprova o registro na Cetip de aplicações financeiras de um determinado cliente, por meio de seu CPF ou CNPJ, em investimentos custodiados pela própria Cetip.

Assim, bancos, corretoras, distribuidoras e outras instituições financeiras solicitam adesão ao Cetip Certifica com o objetivo de registrar, obrigatoriamente, investimentos na Cetip. Isto ocorre mesmo quando, para alguns ativos, o registro não seja legalmente obrigatório.

As instituições financeiras precisam credenciar-se junto à Cetip para estender o benefício da certificação para seus clientes. Há uma série de requisitos e obrigatoriedades para que um banco ou corretora possa ostentar o credenciamento à certificação.

Essas instituições precisam concordar com uma série de exigências da Cetip em um termo de adesão, mas de forma geral, do ponto de vista de seus clientes, a adesão implica no encaminhamento dos clientes para o portal da Cetip/B3 para o acompanhamento de suas posições. Cada um deles recebe instruções de acesso e login e a instituição financeira passa a ser responsável pelo lançamento das informações nesse sistema, sofrendo penalidades e sanções no caso de erros e incorreções.

A partir disso, uma corretora ou instituição pode usar o selo Cetip Certificada na qualidade de credenciada.