Gigante Chinesa: produto Xiaomi vale a pena?

Por Redação IQ 360

A corrida tecnológica envolvendo os Smartphones tem, de modo geral, beneficiando usuários com a variedade de escolha na hora de comprar um celular. Se antes a Apple e a Samsung eram absolutas no mercado, hoje é possível encontrar outras empresas proporcionando ótimos produtos a preços que podem compensar, como a Xiaomi. A dúvida que fica é, será que Xiaomi vale a pena?

Desde o início de 2019, a rede de lojas físicas da Ricardo Eletro vende dois modelos da marca: Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro, por meio de uma parceria com a empresa mineira DL.

Já a loja oficial da marca voltou ao Brasil no final de 2019 com força total, com uma proposta bem mais ambiciosa do que a empresa teve em 2015, quando apareceu por aqui a primeira vez.

Um detalhe importante não foi informado quando a parceria Xiaomi/DL foi anunciada em fevereiro: os preços. Agora sabemos: o Redmi Note 6 Pro de 64 GB de espaço e 4 GB de RAM custa de R$ 1.999, enquanto o Pocophone F1 com 128 GB e 6 GB de RAM sai por R$ 2.999.

Uma característica que ajuda a responder se Xiaomi vale a pena é a relação custo-benefício que a empresa consegue aplicar em seus celulares no exterior. Seria muito difícil replicar os preços baixos da empresa no Brasil, devido às taxas de importação, conversão de moedas e custos operacionais.

Os valores podem decepcionar quem esperava comprar celulares excelentes a preços abaixo da média de R$ 1.500 – valor gasto atualmente na compra de um celular intermediário novo da Samsung, Motorola, Asus ou LG no Brasil.

Mas, agora com alguns dos preços definidos, vamos entender um pouco da história da empresa e compreender o porquê de tanto alvoroço com a marca. Acompanhe para saber se Xiaomi vale a pena.

Xiaomi: o que a marca tem de especial?

O que chama a atenção na marca, e faz com que muitas pessoas acreditem que Xiaomi vale a pena, de modo geral, são os preços atraentes para um produto que oferece alta qualidade. Ele veio para disputar mercado com as gigantes do ramo, então, possui recursos à altura por preços acessíveis.

Portanto, para responder à questão se Xiaomi vale a pena, é preciso considerar que disputar com essas grandes marcas não é qualquer coisa.

Além disso, a marca trouxe uma excelência de produção para produtos chineses, o que não era o padrão de importação, pelo menos não de maneira difundida. Isso sem falar, ainda, nos designs de seus produtos: eles são bonitos e modernos, e aliam a isso alta qualidade.

Vantagens do Xiaomi

Não há como negar: a Xiaomi conseguiu chegar ao patamar de ter fãs e defensores exímios da marca. Isso não se deu em vão: a empresa tem feito por merecer, e as vantagens podem te convencer de que Xiaomi vale a pena.

Primeiro, claro, a relação custo-benefício, que é atraente seja para aparelhos de entrada, seja para os intermediários (que aliam recursos de ponta a preço acessível), e até mesmo para os topos de linha (aqueles premium, mas que ainda assim têm preço mais em conta em comparação com os concorrentes diretos).

A qualidade dos smartphones Xiaomi é reconhecida internacionalmente, com a certeza de pagar o menor preço possível pelas tecnologias embutidas em cada categoria de aparelho.

E por falar em tecnologias, outra vantagem da Xiaomi é justamente o fato de ela usar tecnologias de ponta em cada lançamento, considerando, claro, o perfil de cada aparelho. Ao lançar um celular de entrada, então, a chinesa vai contar com um conjunto de hardware mais modesto, mas não usará um processador já defasado para baratear o lançamento.

Além disso, diversos modelos que fazem parte da categoria de intermediários trazem recursos mais comuns em aparelhos premium, como câmeras duplas na traseira e baterias mais parrudas.

Desvantagens do Xiaomi

Para começo de conversa, há algo que deve ser considerado primordialmente quando se adquiri qualquer produto da China, e que pode levar às dúvidas sobre se o Xiaomi vale a pena.

Apesar de o preço ser aparentemente mais em conta, é preciso colocar no papel os gastos, em reais, com as taxas de importação do aparelho, frete internacional e preparar o bolso para uma eventual cobrança adicional por parte da Anatel, a depender do modelo do aparelho. Caso ele ainda não seja homologado pelo órgão, serão cobrados R$ 200 para que isso seja feito.

Você pode achar, então, que, já que há loja oficiais aqui no Brasil, e mesmo outras distribuidoras do produto, não há mais com o que se preocupar. Na verdade, ainda há algo que pode atrapalhar um pouco a experiência de utilização do aparelho.

É preciso se atentar ao fato de que celulares chineses não foram planejados para funcionar nas redes de telecomunicações brasileiras, e vários aparelhos acabam apresentando incompatibilidades.

Da própria Xiaomi, alguns smartphones não são compatíveis, por exemplo, com a frequência de 700 MHz (banda 28), que é justamente utilizada para o 4G no Brasil, além das frequências de 2.600 MHz (banda 7) e a de 1.800 MHz (banda 3).

Como comprar Xiaomi no Brasil com economia

Saber se o Xiaomi vale a pena pode estar condicionado, também, às melhores oportunidades e possibilidades na hora de comprar o equipamento.

Assim, esperar por promoções e ficar sempre ligado em anúncios de distribuidoras pode ser uma forma de viabilizar essa aquisição.

Também, outra possibilidade é acumular pontos em cartões de crédito que proporcionam esse tipo de função. Pode ser que você tenha um bom desconto na hora de adquirir seu Xiaomi.

Quer  saber qual o melhor cartão de crédito para você? O iq tem dicas preciosas e que podem ser essenciais na hora de economizar em uma compra. E então, o que acha, Xiaomi vale a pena?