Vendor: saiba o que é, para que serve e quais são os benefícios

Por Redação IQ 360

Vendor

Considerando que os brasileiros gastaram R$ 1 trilhão em compras no cartão de crédito ao longo de 2019, fica fácil imaginar a quantidade de negócios, especialmente os pequenos e médios, que podem se ver sem capital de giro. Tal problema pode ser contornado se for feita a opção por um contrato de operação vendor.

O que é uma operação vendor?

A operação vendor é uma opção de financiamento que bancos e instituições financeiras oferecem às empresas para auxiliar em uma transação de venda a crédito. No vendor, a empresa que vende parcelado um produto ou serviço passa para o banco o direito de receber as quitações mensais do cliente comprador e recebe em troca, da própria instituição financeira, o valor total da venda – de uma só vez. É um acordo comercial que, em outras palavras, torna a empresa fiadora de seu próprio cliente.

Em termos jurídicos, o vendor é um contrato bancário embasado nos fundamentos da cessão de crédito. As regras de contratação do vendor variam de instituição para instituição, mas geralmente os bancos que têm boa relação com a empresa em questão depositam imediatamente o valor da transação de venda em sua conta, descontada uma taxa.

O próprio comprador acaba se beneficiando com um financiamento a juros menores do que teria com um financiamento por conta própria – fruto justamente do relacionamento pre existente entre empresa vendedora e banco – e paga as parcelas diretamente para a instituição.

Para que serve uma operação vendor?

Uma operação vendor serve para que negócios que lidam com vendas a crédito recebam o valor integral de suas transações naquele mesmo momento e mantenham o capital de giro intacto – o que, por consequência, evita a necessidade de recorrer a empréstimos.

É uma modalidade de financiamento utilizada principalmente por empresas que vendem itens de alto valor agregado – como fornecedores de máquinas e equipamentos – e que precisam do dinheiro para seguir produzindo seus materiais.

Trata-se especialmente de uma colaboração empresarial. O financiamento pela operação vendor impõe uma tributação menor para a empresa vendedora, ao mesmo tempo que o cliente comprador (muitas vezes outra empresa) ganha boas condições de prazo e pagamento junto ao banco – e inicia ele também uma relação com a mesma instituição.

Vale ressaltar, porém, que a transação sofre incidência do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) de acordo com o valor total e com o prazo negociado para quitar as parcelas.

Vantagens de uma operação vendor

Confira abaixo as principais vantagens de se utilizar a operação vendor:

🡪 O valor da venda feita a crédito é depositado à vista na conta da empresa em questão – descontada uma taxa do banco;

🡪 A empresa vendedora consegue manter o capital de giro, seguir com a operação diária sem recorrer a empréstimo e até buscar mais recursos;

🡪 O financiamento via vendor sofre menor tributação (ICMS, Cofins, IPI) do que outros tipos de financiamento, pois os impostos são calculados sobre o preço à vista;

🡪 Negócios que normalmente os bancos não concordam em financiar são facilitados pelo contrato vendor;

🡪 A empresa vendedora pode ainda optar por transferir para o cliente comprador o custo do IOF;

🡪 Para o banco, a operação vendor cria a possibilidade de atrair novos clientes e manter longos relacionamentos com os antigos;

🡪 Para o cliente comprador, a operação vendor dá acesso a financiamentos com prazos e juros mais atraentes.

Como usar uma operação vendor?

A operação vendor é basicamente um contrato entre três partes: vendedor, comprador e instituição financeira. É preciso, portanto, que as três partes assinem e formalizem tal contrato, estabelecendo assim: que a empresa cede ao banco o direito de receber as parcelas de uma venda a crédito, inclusive os juros incidentes; que o banco deve depositar imediatamente o valor total da venda a crédito na conta da empresa, descontada uma taxa; que o comprador deve quitar as parcelas de sua compra diretamente junto ao banco.

O contrato que formaliza a operação vendor estabelece ainda que a empresa vendedora torna-se fiadora do cliente comprador, dando garantias e assumindo os riscos de inadimplência do negócio junto ao banco.

Especialmente por este motivo, o vendor só deve ser tomado como opção em uma transação quando a empresa vendedora certifica-se de que o comprador é um bom pagador e será rigoroso na quitação da dívida – ou ela precisará arcar com essa dívida     . Assim, a confiança mútua e a cooperação entre as três partes são fundamentais para que o vendor beneficie a todos.

Gostou do artigo? Então acesse o site do iq confira outros conteúdos sobre o asunto.