Transferência internacional: como funciona e quais são as taxas?

Por Redação IQ 360

Transferência internacional

Quem já precisou fazer uma transferência internacional sabe como pode parecer muito complicado, já que deve lidar com diversas taxas e burocracias. Além disso, existem diversas maneiras de fazer envios de dinheiro para o exterior e fica difícil saber qual a melhor opção.

Atualmente, existem diversas formas de fazer uma transferência para outro país, assim como são cobradas várias taxas diferentes entre os vários provedores, seja de bancos tradicionais ou alternativas inovadoras.  Com tantas opções, às vezes, pode ser complicado saber por onde começar.

No entanto, fazer uma transferência internacional pode ser mais simples do que se imagina. Confira em nosso guia como ela funciona e quais são as taxas envolvidas no procedimento.

Transferência internacional - o que é e como funciona?

Muitos brasileiros precisam enviar ou receber dinheiro em moeda estrangeira, seja para viagens, pagamentos, enviar valores para familiares ou realizar investimentos. Em suma, a transferência internacional é o envio ou recebimento de dinheiro entre diferentes países.

Essa transferência é feita por bancos ou empresas online, credenciadas pelo Banco Central do Brasil (BACEN), que faz a conversão para a moeda estrangeira e transfere para a conta do beneficiário em outro país.

O que considerar ao procurar uma empresa?

O custo do processo é um fator muito importante que você deve estar bem atento. É preciso analisar quais serão os custos finais da ação, pois, muitas vezes, o que, em um primeiro momento, pode parecer vantajoso, na realidade, não é.

Alguns bancos podem conceder descontos impressionantes que chamam a atenção, mas depois adicionar uma alta margem de lucro na conversão cambial. Por isso, fique atento à toda transparência e custos durante o envio e recebimento de dinheiro.

Em geral, os bancos cobram uma tarifa de envio, ou recebimento, além da taxa Swift (Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais), cobrada para cobrir as despesas de comunicação entre os bancos de diferentes países. Ainda, existe a margem de lucro sobre o valor do câmbio comercial e possíveis custos com bancos intermediários. Sem contar a cobrança da alíquota obrigatório do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Ela varia entre 0,38% para transferências entre contas de titularidade diferente e 1,1% para contas do mesmo titular.

Segurança

O seu dinheiro precisa estar seguro, por isso, outro fator é a segurança financeira.  Muito cuidado com empresas desconhecidas, pois é possível acontecer fraudes, estelionatos e roubos. Ao escolher uma instituição, o primeiro passo é verificar se ela está regulamentada e autorizada pelo Banco Central.

E procure utilizar instituições que garantam o sigilo dos seus dados pessoais e bancários, por meio da criptografia.

Rapidez

Além disso, o tempo de envio do dinheiro é um fator primordial. Como diz o ditado popular “tempo é dinheiro”, por isso, fique atento ao tempo que as instituições levam para finalizar a transação e o dinheiro cair na conta desejada.

Métodos de pagamento

Também, para escolher o provedor, se atente aos métodos de pagamento.  Atualmente, existem diversas formas de fazer transferências internacionais que oferecem mais comodidade e impactam no valor final da transação.

Nos bancos tradicionais, geralmente, o pagamento pode ser feito via débito em conta corrente, transferências via TED, DOC ou pagamento direto na agência. As plataformas online mais modernas também trabalham com praticamente as mesmas opções, além de alternativas como boleto bancário ou cartão de crédito.

Quais são as taxas cobradas em uma transferência internacional?

Em uma transferência internacional, existem diversas taxas cobradas que definem o seu custo total. Algumas delas são:

Tributação

Alguns impostos são aplicados para fazer o procedimento. Como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que é obrigatório no Brasil e aplicado em qualquer movimentação de dinheiro. Essa tributação também ocorre em qualquer instituição financeira utilizada.

Atualmente, o Governo Federal estipula as seguintes taxas:

  • Transferências enviadas ao exterior para conta pertencente a outra pessoa: 0,38%;
  • Transferências enviadas ao exterior para conta de mesma titularidade: 1,1%;
  • Transferências recebidas do exterior: 0,38%.

Taxa de envio

Os bancos e outros provedores geralmente cobram uma taxa para envio do dinheiro, que é o custo administrativo para as transações. Esses valores podem ser fixos, independente do montante enviado, ou variado, de acordo com a moeda e o valor da remessa. Lembrando que cada provedor tem a sua própria tarifa de envio.

Além disso, diversos bancos no mundo todo utilizam o SWIFT e com isso aplicam a taxa de “despesa SWIFT” nas transações, sendo que cada banco tem o seu próprio valor para essa taxa. O código SWIFT, nada mais é que  a identificação do banco para o qual o dinheiro será enviado.

Câmbio utilizado

Outro custo presente nas transferências internacionais é a taxa de câmbio. Essa taxa é a relação entre as moedas de dois ou mais países, ou seja, o preço de uma moeda estrangeira em relação ao valor que a moeda nacional tem.

O câmbio utilizado deve ser o comercial. No entanto, ao fazer esse procedimento, é preciso se atentar, pois, alguns bancos adicionam uma margem de lucro sobre o câmbio comercial para ter um lucro maior.

Quais são as regras para transferir dinheiro para outro país?

Para fazer uma transferência internacional, algumas regras precisam ser seguidas. Primeiramente, é necessário que as duas pessoas envolvidas na transferência possuam contas em banco, sendo a mesma instituição ou não. Alguns métodos de envio, como a Western Union, no entanto, permitem que não seja obrigatório a necessidade de conta bancária. Isso porque o envio e recebimento pode ser feito direto nas agências, em dinheiro.

Também, é necessário fazer a operação de câmbio, ou seja, converter a moeda para a moeda oficial do país que o dinheiro será enviado. Além disso, é preciso se atentar ao limite de remessas para o exterior que não pode passar de US$ 3 mil por meio de uma empresa contratada. A moeda estrangeira pode ser comprada com até R$10.000,00.

O Banco Central determina que ainda antes de fazer qualquer transação financeira, o banco ou empresa contratada deve informar aos clientes todos os procedimentos e valores necessários para fazer a transferência, como:

  • Valor Efetivo Total (VET), que considera a taxa de câmbio;
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF);
  • Tarifas que podem ser cobradas na operação.

Dessa maneira, mantém-se transparência entre instituição e cliente.

Como fazer uma transferência internacional: passo a passo

Agora que você já sabe o que é necessário para fazer a transferência internacional, iremos ensinar como fazer um envio de dinheiro para o exterior.

Escolher uma empresa considerando os itens acima

Esse passo é muito importante, pois irá definir quais serão os custos finais de sua transação, a segurança e o tempo que levará para o dinheiro ser depositado na conta do beneficiário.

Incluir os dados de quem irá receber

É preciso incluir todos os dados pessoais do beneficiário, como nome completo e endereço. Além dos dados bancários e códigos necessários de acordo com as exigências do país que será enviado, como o IBAN. O banco também pode solicitar uma declaração de Imposto de Renda ou mesmo uma comprovação do dinheiro, se o  valor for muito alto.

Transferir para a corretora ou pagar um boleto de transferência

O próximo passo é transferir o dinheiro para a empresa, ou mesmo fazer um depósito de transferência. Alguns bancos permitem, até mesmo, que esse passo seja feito por telefone. No entanto, atualmente a internet é o meio mais rápido e prático.

Aguardar a conversão e o envio do dinheiro

Por fim, é só aguardar a conversão das moedas e envio do dinheiro para o destinatário no país em que ele estiver.

Agora que você já sabe quais são os procedimentos necessários para fazer uma transferência internacional e como essa tarefa pode ser simples, você já pode fazer a sua. Acesse o site do iq e confira outros artigos sobre o assunto.