Score Baixo: Como melhorar sua pontuação e obter crédito

Por Redação IQ 360

Ao solicitar crédito em qualquer instituição, seja ela um banco, uma financeira, uma rede de lojas ou uma empresa de telefonia, toda pessoa passa por uma espécie de avaliação. 

Estas instituições possuem meios para certificarem-se de que o cliente em questão não lhes trará problemas – entenda-se com isso atrasos nas parcelas e/ou calote na dívida. 

Um destes meios é uma avaliação numérica que reflete, de forma simbólica porém fiel, uma espécie de currículo financeiro do consumidor: trata-se do Score.

O Score pessoal é um dos dispositivos mais importantes para determinar se a instituição cederá, ou não, crédito para o solicitante.

A nota é calculada com base em uma série de fatores relacionados aos hábitos econômicos de cada cidadão brasileiro: se a pessoa paga suas contas em dia, se possui renda fixa, se tem dívidas que não foram quitadas. 

Tudo isso e mais entra no balanço que apontará o Score. Assim, enquanto um Score Alto aumenta as chances de aprovação da cessão de crédito, um Score Baixo pode resultar em pedido reprovado.

Baseado em um sistema de avaliação de perfis pessoais criado por seguradoras da década de 1930, o Score de crédito é um sistema estabelecido já há anos nos Estados Unidos e na Europa. Hoje, o Brasil e os maiores países da América Latina também usam o sistema para decidir ou não pela cessão de crédito. 

O que é o Score e qual é a relação com a concessão de crédito?

O Score é uma nota que vai de 0 (zero) a 1.000 (mil) cujo cálculo leva em conta fatores estatísticos e o histórico do próprio cidadão que fez a solicitação de crédito.

Ao receber um pedido, a empresa fornecedora de crédito acessa um dos sites que disponibilizam a visualização do Score e verifica a nota do cliente. Quanto mais próximo de mil for o Score, melhor é a avaliação como pagador da pessoa em questão.

Um Score Baixo, por outro lado, reflete um histórico de complicações econômicas – e resulta em maiores chances de o pedido de crédito ser recusado.

A avaliação econômica do cidadão para chegar ao Score inclui fatores como o pagamento em dia das contas, a quitação dentro do prazo de eventuais dívidas e até se possui cadastro atualizado no sistema do Serasa.

Caso não atenda esses quesitos, o Score inevitavelmente será baixo e as empresas podem negar a cessão de crédito – ou cedê-la com a contrapartida de exigir taxas maiores e prazos mais curtos.

Um Score Alto, por outro lado, representa mais chances de o cidadão honrar seus compromissos nos próximos 12 meses.

Para efeitos de referência, as definições de Score Baixo e Score Alto seguem o seguinte padrão:

🡪 Até 300 pontos: considera-se o Score Baixo e o pedido pode ser negado porque o solicitante é visto como de alto risco;

🡪 Entre 300 e 700 pontos: o Score é médio e o solicitante deve conseguir crédito de acordo com as taxas praticadas no mercado;

🡪 Acima de 700 pontos: o solicitante apresenta Score Alto, é considerado de baixo risco e pode obter créditos com valores maiores e taxas reduzidas.

Principais prejuízos do Score Baixo

A maior desvantagem de apresentar um Score Baixo é bem evidente: não só a obtenção de crédito torna-se mais difícil como, quando o pedido é aceito, as condições oferecidas são muito piores.

Os grandes bancos, por exemplo, podem não aprovar empréstimos em dinheiro para clientes com Score abaixo de 300 pontos. Obter um financiamento para comprar uma casa ou um carro também é mais árduo, com condições piores do que as que são oferecidas para os clientes com Score Alto.

Ter um Score Baixo faz com que o consumidor seja visto pelo mercado como alguém que não honra seus compromissos financeiros – uma identificação que ninguém quer ter.

É importante ressaltar que o Score não garante a obtenção ou não de crédito de acordo com a nota: ele é um fator que auxilia as empresas e as instituições financeiras a optarem ou não pela aprovação, mas que certamente tem grande influência na decisão final. 

Dicas para melhorar a pontuação

O Score de cada pessoa não é um número fixo e imutável, pelo contrário: ele aumenta ou diminui de acordo com as ações financeiras que o próprio cidadão realiza.

Desta forma, é plenamente possível tomar atitudes para sair de um Score Baixo e passar a ser visto como um bom pagador pelas empresas e instituições financeiras – esta mudança de atitude, porém, não resulta em uma mudança instantânea da nota.

É preciso esperar um pouco para obter os resultados.


O que fazer quando ficar com o Score Baixo?

🡪 Limpe o nome na praça: negocie se precisar, mas quite todas as suas dívidas;
🡪 Pague as contas em dia: energia, gás, água etc.; 
🡪 Atualize seus dados no sistema do Serasa;
🡪 Inscreva-se no Cadastro Positivo do Serasa.

Para ter maior controle sobre o próprio Score, é fundamental acompanhá-lo.

Felizmente, tal tarefa é oferecida de forma gratuita e sigilosa para qualquer pessoa: basta acessar os sites das empresas que disponibilizam a visualização do Score e completar o cadastro que elas solicitam.

Somente o próprio cidadão pode verificar seu Score de crédito pessoal – além, é claro, das empresas e instituições financeiras que são procuradas para ceder crédito.

Confira seu Score pessoal nos sites abaixo:

🡪 Serasa
🡪 Boa Vista SCPC