Quanto custa viajar para o Chile: da passagem ao esqui

Por Redação IQ 360

Você está planejando um novo destino e quer saber quanto custa viajar para o Chile? Essa é uma dúvida muito comum, contudo, não há um valor exato. O custo pode variar de acordo com a época escolhida, seus objetivos no país, adesão a promoções, entre outros fatores. Por isso, reunimos algumas estimativas para ajudar no planejamento da sua viagem.

O Chile é uma opção que fica perto do Brasil e atrai muitos visitantes devido às suas paisagens e opções turísticas.

A capital, Santiago, é a porta de entrada para outras regiões, assim, seus voos costumam ser mais baratos. As geleiras, os desertos e as vinícolas são alguns dos atrativos da região, no entanto, são experiências distintas e com custos variados.

A seguir, reunimos informações sobre moeda, passagens e como economizar na viagem, melhor época para visitar o local e dicas sobre o que fazer.

Dessa forma, você terá uma estimativa de quanto custa viajar para o Chile.

Quanto custa viajar para o Chile?

Antes de decidir viajar para o Chile, é preciso se atentar a dois fatores: ter uma boa organização financeira e entender sobre a moeda local. O peso chileno (CLP) tem notas de 1.000, 2.000, 5.000, 10.000 e 20.000 pesos, além de moedas de 1, 5, 10, 100 e 500 pesos. R$ 1,00 vale, em média, 151 pesos chilenos, porém, tende a variar frequentemente.

O real é uma moeda valorizada no mercado chileno, portanto, é mais vantajoso trocá-lo em alguma das diversas casas de câmbio existente em Santiago.

No centro, o viajante encontra opções ao longo da Rua Agustinas e pode comparar os preços.

Valor das passagens aéreas

Para quem deseja gastar pouco na viagem, que tal conseguir passagens mais em conta? A dica é comprá-las com bastante antecedência e ficar de olho nas promoções. Além disso, caso queira economizar, evite as altas temporadas.

Com uma saída a partir do Rio de Janeiro ou de São Paulo, por exemplo, os valores das passagens aéreas variam entre R$ 900,00 e R$ 1.400,00, ida e volta.

Por outro lado, fatores como a proximidade entre Brasil e Chile e o número de voos frequentes entre ambos os países proporciona boas ofertas que podem diminuir esse valor.

Melhores promoções

Muitas companhias aéreas, como Gol e Latam, costumam fazer muitas promoções. Além disso, você pode optar por pacotes de viagem internacional, que incluem hospedagem.

É possível monitorar a variação desses valores, bem como encontrar as melhores ofertas por meio das ferramentas Google Flights, Kayak, entre outras.

Milhas e pontos de viagem

Já pensou em viajar de graça ou com baixo custo das passagens? Essa é uma possibilidade para quem sabe usar o acúmulo de pontos e milhas da melhor forma.

Um exemplo é o Latam Pass — em que as passagens saem em torno de 13.000 pontos, ou seja, você garante sua viagem ida e volta com 26.000 pontos, mais o adicional de taxas.

Escolher um bom cartão de crédito é fundamental para acumular mais pontos nas suas compras.

Opções como Credicard Black e Multiplus Itaucard Black são as mais vantajosas, e se diferem pelo objetivo de cada pessoa com as milhas e o valor gasto por mês.

Melhor época para viajar

Assim como em outros pontos turísticos do mundo, os preços das passagens aéreas variam de acordo com a baixa e a alta temporada. Quando o país recebe muitos visitantes, o preço tende a subir, mas não se engane pensando que isso ocorre apenas durante o inverno — quando os turistas vão atrás do frio e da neve.

O Chile conta com duas altas temporadas: a primeira acontece em julho, em razão das férias escolares do Brasil e a procura pela neve; já a segunda ocorre entre dezembro e fevereiro que, além de ser um período de recesso das instituições de ensino e das empresas, recebe muitos visitantes do país vizinho, a Argentina.

Por isso, considere os seus objetivos para a viagem ao Chile e programe a melhor época para visitar o local.

Abril, maio, junho, setembro, outubro e novembro são os meses de baixa estação. Caso o viajante queira poupar e esteja com um orçamento apertado, mas não quer abrir mão desse momento, essa é uma alternativa.

Quanto custa viajar no Chile?

O Chile tem atrativos para gostos variados. Quem gosta de se aventurar, deve gastar em média 100.000 CLP para aproveitar um dia nas pistas de esqui ou subir a Cordilheira dos Andes. Os passeios mais rápidos custam em torno de 20.000 CLP e 30.000 CLP por pessoa — visita às vinícolas, ao campo geométrico El Tatio no Atacama e por La Zona em Pucón.

Também há opções para o dia todo, com valor entre 50.000 CLP e 90.000 CLP. Entre elas, estão o tour ao Salar de Tara e ao Parque Torres del Paine.

Além disso, para transitar pela região, é interessante alugar um carro para os pequenos trajetos. Uma diária começa em 20.000 CLP.

Alguns custos diários em cidades turísticas no Chile costumam ser:

  • Pucón: R$ 208,00;
  • Puerto Varas: R$ 396,00;
  • Punta Arenas: R$ 263,00;
  • Santiago: R$ 128,00;
  • San Pedro de Atacama: R$ 161,00;
  • Valparaíso: R$ 72,00.

Reunimos, abaixo, algumas dicas de passeios para fazer no Chile e estimativas de valor para você se planejar e curtir esse momento da melhor maneira — de acordo com seus objetivos e orçamento.

Sky Costanera

O Sky Costanera é o mirante mais alto da América Latina. Proporciona uma experiência única a 300 metros de altura e vista em 360° de Santiago.

O valor custa R$ 90,00 por pessoa e o local funciona todos os dias da semana. É uma oportunidade para tirar boas fotos com a família ou com os amigos e registar a visita pela cidade.

Cerro San Cristóbal

Para chegar ao topo do Cerro San Cristóbal, é preciso pagar aproximadamente R$ 30,00 e R$ 40,00 por pessoa — incluindo ida e volta de funicular ou teleférico, respectivamente. Crianças e pessoas da terceira idade pagam R$ 12,00.

No caminho, um atrativo para os pequenos é passar pelo zoológico. Há também áreas de piquenique, observatório astronômico e trilhas.

Vinícola Concha Y Toro

Existem diversos campos de vinícolas no Chile que atraem muitos visitantes e amantes do vinho. A Concha y Toro é a mais popular entre os turistas brasileiros em Santiago, e custa em torno de 96 reais por pessoa — apenas a entrada, sem a contratação de agência.

Você ainda pode aproveitar degustações de vinhos da casa e alguns pratos tradicionais.

Viña Del Mar E Valparaíso

Essas são duas cidades próximas. Quem deseja visitá-las, gastará, em média, R$ 240,00 por pessoa se for com agência.

Indo por conta própria, pagará cerca de 70 reais entre ônibus e outra opção de deslocamento. Valparaíso é um museu a céu aberto, marcado por seus grafites e casas coloridas. Viña del Mar tem o Castillo Wulff com vista para o mar como cartão postal.

Valle Nevado E Parque De Farellones

Se o seu objetivo é curtir a neve do Chile, o Valle Nevado é a estação mais famosa de esqui e snowboard do país, e fica no topo da Cordilheira dos Andes — o transfer até lá custa cerca de R$120,00.

A temporada para visitar a região é entre julho e setembro. Para ir ao Parque Farellones, terá o custo de R$ 170,00. Já os pacotes de esqui ficam entre R$ 400,00 e R$ 500,00.

Reunindo todas essas informações, você terá uma estimativa de quanto custa viajar para o Chile.

Defina o seu objetivo, faça um roteiro de viagem com as principais atividades que deseja realizar durante a visita, tenha um planejamento financeiro e pesquise sobre promoções e outros assuntos. Feito isso, é só aproveitar as maravilhas do país de destino.