As 9 regras do IQ para maximizar seus pontos e milhas

Por Maria Teresa Lazarini

como-usar-mlhor-milhas

É difícil encontrar alguém que recuse uma passagem aérea de graça ou uma estadia em um hotel de luxo com tudo incluso. Essa possibilidade ficou mais próxima com a criação dos programas de acúmulo de pontos ou de milhas. Embora sua mecânica seja simples, ainda é muito comum encontrar pessoas receosas em fazer parte desses programas. Para tirar o medo de quem ainda não explorou o território de juntar milhas e pontos – e ajudar quem quer aumentar os meios de pontuar – o IQ preparou um guia completo com as dicas do maior especialista do mundo no assunto: Brian Kelly, fundador do The Points Guy, marca que pertence à Red Ventures, empresa que controla o IQ.

SAIBA+IQ: Dólar do cartão de crédito passa a ser o do dia da compra no exterior

1. Defina um objetivo de uso para os pontos

É muito comum ver notícias de ganhadores da loteria que ficam confusos com a bolada premiada e acabam frustrados por não terem aproveitado o dinheiro de maneira consciente. Para o uso de qualquer recurso que você tenha, seja dinheiro na conta, patrimônio ou milhas, é necessário definir como você usará aqueles recursos. Sem esse planejamento básico, são grandes as chances de você acabar frustrado por ter perdido o que você tinha em mãos.

Por isso, o primeiro passo para usar bem seus pontos é definir um objetivo para eles. Costuma viajar bastante? Procure programas de pontos de companhias aéreas que cheguem no destino que você deseja. Caso faça viagens frequentes para os EUA, por exemplo, considere participar do programa de milhas AAdvantage, da American Airlines. Mas se os seus trajetos ficam concentrados em voos domésticos, talvez o programa TudoAzul, da Azul, ou Smiles, da Gol, sejam ideais.

Se você não é um viajante de carteirinha, não se preocupe. Também é possível usar e abusar de pontos escolhendo produtos. Alguns programas são focados na troca por bens, como é o caso do Dotz, do Banco do Brasil. O importante é definir um objetivo de uso para os pontos. Isso torna mais fácil a missão de escolher o programa e o cartão de crédito que melhor se encaixam no seu caso, afinal, suas preferências já são conhecidas.

SAIBA+IQ: Cartão de crédito sem anuidade: conheça os 12 melhores do Brasil

2. Entre nos principais programas de pontos e milhas

Uma vez que o objetivo dos pontos está definido, o próximo passo é escolher algum programa que se adeque aos seus planos. Mas, se você estiver em dúvida entre alguns, não se preocupe: o cadastro em programas é gratuito. Por isso, crie as contas onde você desejar e decida qual é o seu preferido após conhecer melhor sobre cada um deles.

Depois de selecionar quais programas mais se adequam aos seus objetivos, o IQ recomenda centrar seus pontos entre 1 e 3 programas, para que as milhas ou os pontos não fiquem dispersos. A escolha de mais de 2 programas é recomendado para quem tem mais de um objetivo com os pontos, desde que os programas escolhidos sejam vantajosos.

No entanto, também é recomendado manter apenas um programa de pontos para quem escolheu apenas um objetivo. Supondo que uma pessoa faça frequentemente o trecho Viracopos-Orlando e tenha gostado do voo da Azul, é recomendado que ela concentre os seus pontos no programa TudoAzul. Nesse caso, ela conseguirá acumular o máximo de milhas possíveis no programa que trará um maior retorno maior do benefício.

Os pontos e as milhas são registrados no programa conforme a utilização do cartão de crédito cadastrado. Para acumular milhas a partir de voos realizados, Brian Kelly, fundador do The Points Guy, recomenda colocar o número de frequent flyer na sua reserva antes de viajar, e não depois. Isso facilita a contabilização dos pontos. No entanto, também é possível recuperar as milhas dos voos até 6 meses depois da viagem, mas tenha em mente que o processo pode demorar.

E não se esqueça! Guarde os nomes de usuário e senhas de cada programa, porque eles serão essenciais na hora de resgatar e trocar pelos benefícios.

SAIBA+IQ: Vale a pena pagar anuidade para juntar milhas?

3. Use um gerenciador de milhas online

Gerenciadores online de milhas são o braço direito de clientes que possuem mais de um programa de pontos. A partir de um cadastro gratuito, é possível registrar todos os programas de pontos em um só lugar, o que tonar mais simples e prática a contabilização deles. São diversas as opções de gerenciadores disponíveis na Internet, mas o mais recomendado no Brasil é o Oktoplus.

SAIBA+IQ: Como não ser um dos 8 milhões de brasileiros vítimas de golpes financeiros

4. Escolha o melhor cartão de crédito de acordo com seu objetivo

Assim como a escolha do programa é essencial para maximizar seus pontos, a escolha do cartão de crédito também é decisiva nesse processo. No entanto, essa não é uma tarefa fácil. Com tantas opções de cartões de crédito no mercado, é preciso analisar qual delas é a mais adequada para o seu bolso e qual traz uma conversão de pontos vantajosa para você e o seu objetivo.

Para saber qual cartão de crédito é ideal para acumular milhas, o primeiro passo recomendado é calcular seu gasto médio com um cartão, pois essa é a principal variável para escolher o produto ideal. Dependendo do valor que você gasta por mês, alguns cartões de crédito são mais recomendados que outros.

Segundo análise do IQ, o Credicard Black é vantajoso para quem gasta acima de R$ 6.000 mensais. Já o Multiplus Itaucard Black, que oferece 2,5 pontos Multiplus a cada dólar gasto, é vantajoso para clientes com gasto mensal acima de R$ 15.000. Outro fator que pesa na escolha é a renda mínima exigida: o Multiplus Itaucard Black, por exemplo, requer que o cliente ganhe, pelo menos, R$ 15.000 por mês. Por outro lado, o Credicard Black não exige renda mínima, abrangendo um número maior de consumidores.

O IQ preparou reviews dos principais cartões de crédito de pontos do mercado brasileiro. Confira alguns artigos e veja qual é a opção mais adequada para você:

SAIBA+IQ: Você está usando o cartão de crédito correto?

5. Concentre todas as compras no cartão de crédito

Do pãozinho da padaria à conta de luz, tente passar todas as suas despesas no cartão de crédito que está registrado no programa de pontos. Concentrando suas compras em um cartão de crédito, é possível acumular muito mais pontos e milhas do que se você separasse as compras em diferentes cartões, principalmente se usar a função débito.

Além disso, tente pagar a totalidade da fatura no prazo para não perder as milhas com os juros do rotativo.

SAIBA+IQ: Vai viajar e pagou com Visa? Não esqueça de emitir seu seguro saúde gratuito

6. Aproveite parcerias para ganhar mais pontos

Além de oferecer pontos por meio do uso do cartão ou após viagens, muitos programas também concedem pontos em compras de lojas parceiras. Em esquema de compre e ganhe, o cliente pode adquirir um dos produtos listados na página do programa e em seguida ganhar uma certa quantia de pontos.

É possível consultar quais são as lojas e os produtos que fazem parte da parceria no site de cada programa. Os principais players que participam desse tipo de parceria são Multiplus, Smiles, Livelo, Amigo e AAdvantage.

Para o fundador do The Points Guy, Brian Kelly, compras em portais de parceiros são duplamente vantajosas: além de ganhar os pontos específicos ao final da compra, o cliente também acumula mais pontos se a compra for feita com cartão de crédito.

SAIBA+IQ: Será que o seu cartão de crédito ainda é o ideal para você?

7. Fique atento às promoções

Só não ganha milhas quem está desatento. Além dos pontos acumulados com compras em lojas parceiras, com passagens aéreas e com compras no cartão de crédito, também é possível comprar milhas com preços muito baixos. Os programas de pontos costumam fazer promoções de pontos e milhas em que o cliente consegue ganhar milhas se pagar determinado valor, geralmente baixo.

No entanto, esse tipo de promoção é recomendado em situações específicas. Se uma pessoa deseja viajar em um curto espaço de tempo e não tenha o número necessário de milhas para comprar a passagem, a melhor saída pode ser comprar as milhas. Assim, ela consegue “trocar” uma passagem exclusivamente com milhas, em vez de pagar o valor total com dinheiro. Se esse não for o seu caso, é mais recomendado acumular milhas organicamente para não desembolsar um valor a mais para os pontos que podem vir “sem custo”.

Alguns cartões de crédito também participam de promoções exclusivas de pontuação. No final de 2018, por exemplo, o Santander lançou a promoção Tudo no Cartão Santander, em que os clientes ganharam até 6,6 pontos para cada dólar gasto durante 4 meses. Por isso, fique sempre de olho em promoções exclusivas do seu cartão.

SAIBA+IQ: Elite Card: cuidado com o golpe do cartão perfeito

8. Veja se vale a pena ser um cliente elite

Bagagem extra gratuita, embarque preferencial, upgrade de cabine e escolha de assento. Esses são alguns dos benefícios dados pelos programas de pontos a clientes do nível elite. Para conseguir se qualificar para um, é preciso verificar qual é a política de níveis do seu programa de pontos, pois existem variações conforme a empresa.

De qualquer modo, as regras giram em torno de um ponto comum: para ser um cliente elite, o interessado deve ter certa quantidade de pontos qualificáveis ou ter completado o número estabelecido pelo programa de trechos qualificáveis. As milhas qualificáveis são pontos acumulados em voos de parceiros do programa ou em cartões filiados ao programa, como é o caso do Multiplus Itaucard Black com o programa Multiplus. Já os trechos qualificados são definidos de acordo com o programa de pontos.

Caso você esteja interessado em se tornar um cliente elite, saiba que os níveis são diferentes para cada programa. Por exemplo, os níveis da American AAdvantages são Gold, Platinum, Platinum Pro e Executive Platinum. Na Smiles, os níveis são Smiles, Prata, Ouro e Diamante. Para atingir algum desses planos, é necessário verificar a política de cada um dos programas.

SAIBA+IQ: Cartões Gold, Platinum e Black: qual a diferença entre eles?

9. Troque e resgate os pontos

Depois de ter seguido todas as regras listadas acima, os pontos e as milhas já estão acumulando em sua carteira. Mas, fique atento ao prazo de vencimento. Para não perder nem o empenho de acumular os pontos, nem o valor que eles trazem, o próximo passo é usar esse recurso da maneira que você considerar melhor.

Acessando a página do seu programa de pontos, você terá inúmeras possibilidades de troca, como produtos de cozinha, estadias em hotéis ou passagens aéreas. Para conseguir resgatar seu benefício, você deve fazer login no seu programa com o CPF ou o nº de passageiro frequente e a senha criada durante o cadastro no programa.

Para ajudá-lo a trocar os pontos, separamos aqui os portais de resgate dos principais programas no Brasil: Multiplus, Smiles, AAdvantage, Livelo e TudoAzul.

Você verá que alguns programas oferecem a opção de venda dos pontos e das milhas. Para clientes que não têm planos de usar os pontos, essa é uma opção para ter um retorno e não deixar os pontos expirarem.

No entanto, usar os pontos ou as milhas é sempre uma escolha mais vantajosa, pois o cliente recebe mais quando se compara com a venda desses pontos ou milhas. A vantagem desses programas é o uso dos pontos e das milhas e não a venda para “resgatar” dinheiro.

A equipe do IQ traz um exemplo: uma passagem de ida e volta de São Paulo para Miami, em junho de 2019 – a pesquisa foi realizada em março do mesmo ano. Em reais, esse trecho aéreo vale R$ 2.335,35 pela Latam. Em pontos Multiplus, é possível adquirir as passagens por 48.000 pontos. Se o cliente vendesse essa pontuação online, ele receberia R$ 1.370,88 em troca – levando em conta que cada 1.000 milhas valem R$ 28,56 no portal Max Milhas. Assim, o cliente perderia R$ 964,47 vendendo as milhas em relação ao valor de R$ 2.335,35 da passagem que ele poderia ter aproveitado.

Com essas dicas do IQ você já consegue iniciar sua jornada de independência financeira com pontos e milhas. Cadastre-se em um programa, utilize seu cartão de crédito e aproveite os muitos benefícios que virão. E boa viagem!

SAIBA+IQ: Quer saber como ficar rico? Conheça a Filosofia IQ de Investimentos (FIQI)

As informações foram úteis?

Você não achou esse artigo útil.
Nos ajude a melhorar! Como podemos tornar esse artigo mais útil?
Agradecemos pelo seu feedback!

As informações foram úteis?

5 / 5 (2 avaliações)