O que é Depreciação e que bens ela afeta

Por Redação IQ 360

Quem está antenado em investimentos e vida financeira precisa conhecer um pouco mais sobre o que é depreciação de bens. Você já deve ter ouvido falar nesse termo, não é mesmo?

Conhecer o significado de algumas expressões é fundamental para fazer a gestão de suas finanças da forma correta. Saber o que é depreciação é importante para adquirir novos bens ou negociá-los.

Neste post, você vai descobrir o conceito, exemplos, a importância e quais os bens que estão sujeitos a depreciação. Ainda, vai saber as causas e como calcular a redução de preço ou valor de suas aquisições. Acompanhe!

O que é Depreciação?

Para contextualizar e descobrir o que é depreciação, é importante ressaltar que conhecer termos financeiros é fundamental para tomar decisões de investimentos, minimizar prejuízos e riscos, controlar os custos e economizar seu dinheiro.

Por isso, neste primeiro momento, será apresentado o conceito e alguns exemplos de depreciação. Confira abaixo.

Conceito

Depreciação é a redução de preço ou valor financeiro de algum bem. Existem algumas aquisições que sofrem desvalorização, geralmente motivadas por fatores externos ligados ao desgaste do bem ou do tempo, tornando-o obsoleto quando comparado com versões mais novas e posteriores.

No exemplo abaixo, você vai perceber a atuação dos fatores na prática.

Exemplo

Quem compra um veículo novo deve saber que é um bem que sofre depreciação logo na saída da concessionária. Isso acontece porque o carro é um ativo impactado pelo tempo de vida que ele tem — novas versões e modelos são lançados anualmente — e por sofrer desgaste pelo uso.

O veículo é um bem que costuma ser um bom exemplo, pois não é um ativo que possa ser valorizado. Evidentemente, existem exceções, como carros antigos e de versões para colecionador, que podem valer mais nos dias atuais do que na época na qual o carro foi lançado.

Por que a Depreciação é importante?

Para quem é dono de negócio, a depreciação impacta nos impostos sobre alguns bens. Por isso, setores responsáveis, como a contabilidade e o financeiro, precisam acompanhar a depreciação dos ativos da empresa para otimizar a gestão contábil, além de considerá-los para fazer balanços.

Já para a pessoa física, é importante conhecer a depreciação do bem adquirido para planejar seus investimentos, seja para substituir, vender ou comprar novas versões.

Quais bens estão sujeitos a Depreciação?

A Receita Federal organiza uma lista com diversos itens que sofrem depreciação. Nela, a vida útil econômica de cada bem conta com um prazo e taxa de depreciação anual.

Esse documento tem como objetivo dar parâmetros para fins contábeis e fiscais.

Voltando ao exemplo do veículo, segundo a tabela fornecida pela Receita Federal, a perda de valor do carro chega a 20% e considera uma vida útil de 5 anos.

No caso dos veículos, a nacionalidade também é um fator que pode influenciar. Os carros importados, como costumam ter uma manutenção com custo mais elevado, têm maior depreciação.

Veja abaixo alguns exemplos de bens com depreciação:

  • Edificações;
  • Instalações;
  • Móveis e utensílios;
  • Máquinas e equipamentos;
  • Ferramentas;
  • Veículos com capacidade de até 10 passageiros;
  • Veículos de mercadorias;
  • Tratores;
  • Computadores e equipamentos de informática e comunicação.

Quais são as causas da Depreciação de um bem?

Existem duas razões principais pelas quais um ativo pode sofrer depreciação: desgaste e perda de utilidade.

Depreciação por desgaste

Alguns ativos perdem valor pelo seu uso frequente ou desgaste natural. No exemplo do automóvel, é preciso considerar questões como a quantidade de quilômetros rodados e o desgaste natural das peças e componentes para verificar a depreciação do bem.

Depreciação por perda de utilidade

São casos nos quais o bem pode se tornar obsoleto, seja pelo surgimento de novas versões, e até mesmo pela demanda de mercado. Para automóveis, quando novos modelos são lançados, o anterior tende a ter o preço reduzido, o que colabora para a depreciação.

A obsolescência pode ser classificada em 3 fatores. Acompanhe.

  • Econômico: quando acontecem mudanças legais de oferta e demanda ou alterações na utilização do bem;
  • Físico: quando há perda de valor por conta de danos físicos que não estejam relacionados ao uso. Oxidação é um exemplo.
  • Operacional: quando novos modelos são lançados com vantagens além das que estão disponíveis no modelo anterior do ativo. Os celulares que começaram como aparelhos grandes e cheios de botões são considerados obsoletos quando comparados com os novos modelos de smartphone.

Como calcular a Depreciação?

Para explicar como calcular a depreciação de uma forma didática, será utilizado o exemplo do automóvel. Nesse caso, como a estimativa de vida útil do carro é de 5 anos, é preciso dividir o valor do bem por cinco. Assim, você saberá qual o valor de depreciação anual.

Na sequência, divida o valor anual por doze, para saber quanto custará a depreciação por mês. O resultado indica quanto o seu veículo perderá de valor mensalmente.

Imagine que você comprou um carro zero quilômetro pelo valor de R$ 50.000,00. Para calcular a depreciação do ativo, é preciso dividir por 5, o que resulta em R$ 10.000,00 ao ano, certo?

A próxima etapa é dividir esse valor por 12 (número de meses do ano) para chegar no valor de depreciação mensal.

No exemplo, a valor estimado de depreciação do veículo, por mês, é de R$ 833,33. Evidentemente, outros fatores colaboram para a depreciação, como o uso, sinistros e condições do automóvel.

No exemplo acima, o método utilizado para calcular é conhecido por depreciação linear, embasado por uma taxa igual para todos os períodos.

Além da metodologia linear, existem algumas utilizadas para calcular a depreciação, considerando outras fórmulas e objetivos. Abaixo, está a lista dos principais métodos utilizados, principalmente para atender solicitações fiscais e contábeis.

  • Controle linear de períodos;
  • Saldo decrescente;
  • Multinível;
  • Baixa contábil imediata;
  • Depreciação especial;
  • Depreciação manual.

Por mais que o termo seja utilizado em empresas e setores de contabilidade, é muito importante saber como o que é depreciação e como ela impacta no seu bolso e na sua vida financeira.

Ter conhecimento de questões como essa facilitam para que você tome decisões sábias a respeito dos investimentos e fique atento para escolher as melhores formas de desfrutar de seus bens.

Gostou deste conteúdo? Siga a nossa página no Facebook e tenha acesso a outros materiais que vão dar aquela mãozinha para você organizar as suas finanças.