Cruzar cheque: entenda o procedimento e quando deve adotá-lo

Por Redação IQ 360

Especialmente para quem realiza compras parceladas, o cheque pré-datado representa uma boa alternativa aos cartões de crédito – algumas medidas, porém, podem ser tomadas por quem emite o cheque para lhe dar mais segurança e evitar o uso indevido de seu dinheiro. Uma destas principais medidas é cruzar o cheque.

O que significa cruzar um cheque?

O ato de cruzar o cheque nada mais é do que uma medida de segurança simples, mas eficiente, que consiste em traçar duas pequenas linhas paralelas e diagonais em um dos cantos superiores do cheque. Isso é feito pelo próprio emissor do cheque após preenchê-lo e assiná-lo normalmente, porém antes de entregá-lo para efetuar um pagamento. Tal medida é prevista na legislação e qualquer pessoa com um talão de cheques válido pode fazê-lo.

Ao cruzar o cheque, o emissor garante que o valor descrito não poderá ser sacado em dinheiro pelo receptor: este valor só será transferido na forma de depósito em conta. Como tal medida obriga o receptor a ir até um caixa, depositar o cheque em sua própria conta e aguardar o crédito cair, o emissor ganha mais tempo para sustar o cheque e cancelar a transação em caso de furto ou de perda do talão, por exemplo. Os bancos e instituições financeiras são obrigados, por lei, a não liberarem o saque em dinheiro de cheques cruzados, respeitando assim a decisão do emissor.

Por que devo cruzar o cheque?

Para quem utiliza o talão como forma de pagamento, cruzar cheque é um procedimento simples que lhe dá muito mais segurança. Os valores da compra são, afinal, liberados de forma mais devagar, o que dá ao emissor mais tempo para desfazer a transação se alguma coisa estiver errada – em caso de perda, roubo, fraudes, preenchimento do valor equivocado, entre outros. O cheque cruzado ainda inibe a ação de pessoas mal-intencionadas, pois o receptor precisa fornecer também seus dados (e os de sua conta) para receber o dinheiro.

Os cheques pré-datados com datas de compensação mais longas são, em muitos casos, repassados adiante pelo receptor. Assim, podem acabar nas mãos de adulteradores de cheques ou de outros criminosos – razão pela qual vale a pena cruzar o cheque e ainda adotar outras medidas de segurança simples, como fazer o cheque nominal e incluir a expressão “cheque não transferível”.

Confira abaixo os tipos de cheques cruzados:

🡪 Cheque cruzado geral – quando são traçadas somente as linhas (cruzado em branco), o cheque pode ser depositado em contas de qualquer banco;

🡪 Cheque cruzado especial – quando são traçadas as linhas e, no meio delas, é indicado o nome de um banco (cruzado em preto), o cheque só pode ser depositado em contas daquele banco;

🡪 Cheque cruzado e nominalquando o cheque é cruzado e o emissor ainda escreve o nome de quem deve receber o dinheiro, o cheque só pode ser depositado na conta da pessoa indicada. Este receptor pode, porém, assinar seu nome no verso do cheque para que uma terceira pessoa faça o depósito.