Consumo e consumismo: como diferenciar e aplicar no dia a dia

Por admin

Consumo e consumismo

Vivemos em tempos em que o poder de consumo dita muitos padrões sociais e de comportamento. Não é raro ouvir na mídia ou em conversas cotidianas que o consumismo está mudando o mundo e causando problemas. Mas, será que sabemos realmente diferenciar consumo e consumismo?

Mais do que simplesmente saber a diferença conceitual entre os termos, é preciso entender em seu contexto pessoal o que pode ser visto como uma ou outra coisa.     Abaixo, descrevemos algumas das principais características de cada tema e oferecemos dicas de como identificar seus próprios hábitos e modificá-los se for necessário.

Qual a diferença entre consumo e consumismo?

Alimentação, moradia, lazer. Todas as necessidades da vida moderna estão, em alguma instância, ligadas a um valor monetário. Adquirir itens e bens é uma tarefa da qual não conseguimos escapar e que faz parte do sistema capitalismo em que vivemos. Para essa necessidade, damos o nome de consumo.

Adquirir um produto, porém, não é tão simples. Existem diversas marcas, modelos, preços. Também sentimos impulso de comprar por desejo e não somente por necessidade. O desejo aguça nossas intenções de compra a tal ponto que escolhemos um item mais caro, simplesmente por termos gostado mais da embalagem. Esse desejo é normal e faz parte da sociedade de consumo; no entanto, quando torna-se um hábito por si mesmo e começa a ser o padrão. Assim, temos o chamado consumismo.

Saiba como ser aprovado para um cartão de crédito!

Confira dicas exclusivas no ebook iq para aumentar as chances de ser aprovado para um cartão de crédito

E-mail enviado com sucesso.

O que é consumismo

Basicamente, não é a necessidade que causa o desejo de compra, mas sim o próprio produto. Pode parecer estranho, mas entender que, muitas vezes, é o próprio produto que gera sua própria necessidade.

Com as redes sociais, a exposição de produtos diversos é ainda maior. A publicidade com pessoas “como nós” insere roupas, carros, bebidas, alimentos e muitas outras coisas em um contexto quase familiar. Dessa maneira, tendemos a achar que nossa vida seria melhor se tivéssemos aquelas coisas e, por isso, sentimos a vontade de adquiri-las.

O que é consumo

Nem todo tipo de consumo está ligado ao consumismo. Como falamos, comprar e ter são coisas inerentes do capitalismo e não podemos nos desprender totalmente delas. Comprar aquilo que precisamos (comoalimentos, roupas e imóveis) é essencial como elemento de sobrevivência no mundo moderno.

Perceba que não são só as necessidades básicas que entram como consumo. Lazer e diversão, por exemplo, também ligam-se ao consumo, mas podem ser atividades culturais, entretenimento e descanso. Ou seja, não é bom radicalizar e pensar que o consumo é somente aquilo ligado à sobrevivência imediata. A situação é mais complexa do que isso e é preciso entender bem essas nuances para saber aplicá-las para seu contexto pessoal, quando se diferencia consumo de consumismo.

Como diferenciar meus gastos?

Diferenciar consumo e consumismo pode parecer um pouco abstrato quando está desprendido da realidade. Por isso, é preciso entender exatamente quais já são seus gastos para saber classificá-los.

Gastou uma boa quantia de dinheiro com roupas no shopping? É hora de avaliar se tudo o foi adquirido era necessário. Renovar roupas em falta é importante, mas extrapolar o orçamento com peças de marcas caras, por exemplo, já configura consumismo.

Para facilitar essa tarefa, vale a pena utilizar um app de controle financeiro, como o iq. Com todas as suas entradas e saídas descritas de maneira clara, fica mais fácil entender quais são os gastos supérfluos e quais são as necessidades reais. Além disso, você ainda consegue avaliar os gastos de maneira mais categorizada – alimentação, transporte etc – e ver em qual delas os hábitos de consumo estão deixando de ser saudáveis e podem estar prejudicando a sua renda.

Consumo consciente

Não é só pela questão financeira que o consumismo é prejudicial. O meio ambiente sofre com a extração de recursos de maneira exacerbada e com o descarte de excesso de lixo. Estamos criando padrões difíceis de serem rompidos e que podem prejudicar em muito o planeta para as gerações que estão por vir. A exploração da mão-de-obra e as péssimas condições de trabalho sob as quais muitas pessoas estão acrescentam um viés social ao tema, que deve ser considerada também antes do consumo.

Por isso, pode ser legal ficar atento e dar prioridade às marcas que tentam reparar esses danos. Medidas sustentáveis, práticas positivas para a sociedade e instruções corretas de uso e conservação dos produtos, são sinais interessantes de que a empresa pode ter objetivos alinhados com os seus.

Aprendendo a mudar seus hábitos

De nada adianta cortar compras e economizar por um período limitado, não é mesmo? O ideal é realizar mesmo uma mudança de hábitos, pautada na compra necessária e em boas práticas de consumo.

Reaproveitar e consertar são ferramentas que tem voltado aos hábitos brasileiros. Dar preferência a produtos que já temos e que podem ser utilizados novamente é um hábito que pode custar muito menos no orçamento.

Também é importante reavaliar-se sempre. Cortar gastos e compras hoje é importante, mas pode ser que outros hábitos tenham passado percebidos desse olhar num primeiro momento. Por isso, a dica é sempre pensar antes de comprar e perceber os efeitos positivos disso para seu orçamento e para a sociedade.

Gostou do artigo? Então acesse o site do iq e confira outras dicas sobre finaças e consumo.

As informações foram úteis?

0 / 5 (0 avaliação)