Cartão mesada: como funciona e como fazer um

Por Redação IQ 360

Está pensando em oferecer cartão mesada para os filhos? Saiba que esse recurso é uma segurança a mais para que os pequenos não carreguem dinheiro vivo, mas demanda responsabilidade e atenção. Não basta disponibilizar o cartão esperando que as crianças façam bom uso dele.

Por isso, a educação financeira é um item indispensável que deve acompanhar essa decisão. Para ajudar nesse desafio, elaboramos um guia com cinco estratégias básicas para implementar o cartão mesada na sua casa e as vantagens que surgem quando ele é bem empregado. Acompanhe.

Como funciona o cartão mesada

O cartão mesada funciona como um cartão pré-pago. Os pais fazem recargas, escolhendo o valor e a frequência com que elas ocorrem. Assim, não existe fatura ou parcelamento nesse tipo de cartão.

A criança, por sua vez, pode usar o cartão, mas somente até acabar o saldo depositado nele. Para os pais, costuma haver uma interface de controle de compras no aplicativo. 

Vários bancos tradicionais e digitais oferecem o recurso. Geralmente, a recarga é feita por meio do aplicativo do banco, e basta seguir as instruções da instituição encarregada do cartão.

Vantagens de fazer um cartão mesada

Se você está pensando em solicitar um cartão mesada para o seu filho, confira antes as vantagens desse recurso:

Segurança

Uma das principais vantagens é a segurança que o cartão mesada oferece. Afinal, o dinheiro vivo sempre apresenta o risco de perda e roubo. Então, é uma forma de proteger o seu filho. Além disso, o cartão só pode ser usado com senha e, em caso de roubo ou perda, é possível fazer o bloqueio.

Flexibilidade de valores

Outro ponto positivo é que, com o cartão mesada, você pode fazer recargas no valor que desejar, sem ter uma despesa fixa todo mês, nem a possibilidade de contrair dívidas. Além disso, não é necessário que a criança tenha uma conta bancária para ter acesso ao cartão.

Uso em viagens

O cartão mesada é uma opção interessante para que a criança ou adolescente não leve dinheiro vivo em viagens com a escola, por exemplo. Nesse caso, vale também a vantagem da segurança e a possibilidade de bloquear o cartão se for necessário.

Acompanhamento de gastos

Por fim, o cartão mesada possibilita aos pais o acompanhamento de gastos do filho. Dessa forma, podem avaliar como ele está usufruindo da mesada, além de controlar o saldo do cartão por aplicativo.

Como implementar o cartão mesada na sua casa

Apesar de oferecer benefícios, o cartão mesada deve ser utilizado com alguns cuidados. Confira, a seguir, as melhores dicas para oferecer esse recurso aos filhos:

1. Invista na educação financeira

Oferecer o cartão mesada não deve ser um ato isolado. Junto, você precisa investir na educação financeira da criança para que ela saiba usar o dinheiro. Você pode ensinar o básico: anotar gastos e criar uma poupança, por exemplo. Os benefícios serão válidos para a criança durante toda a vida.

Em seu livro Pais inteligentes enriquecem seus filhos (Primeira Pessoa, 2019), o consultor financeiro Gustavo Cerbasi destaca o papel dos pais: formar filhos que não precisarão deles quando adultos. “Filhos financeiramente bem-educados serão capazes de construir sua riqueza e independência financeira bem antes da tradicional meta de aposentadoria”, frisa.

2. Mantenha um diálogo aberto

O diálogo sobre finanças é essencial para que o uso do cartão mesada seja adequado. Aqui, é importante definir gastos que não serão tolerados, e conversar sobre organização financeira e seus aspectos básicos. Mas é preciso ter um cuidado: evite o controle excessivo, pois também é importante que a criança tenha autonomia.

Exageros devem ser considerados como uma lição. É o que diz a consultora financeira especialista em educação infantil Cássia D´Aquino, em entrevista para a revista Exame. “Um menino de nove anos que gastar toda a mesada com figurinhas antes da data estipulada deve aprender a esperar para receber mais dinheiro”, ressalta.

3. Ajude seu filho a definir prioridades

Outro passo importante é o de ensinar o filho a definir prioridades e objetivos ao lidar com dinheiro. Aqui, o diálogo, mais uma vez, é importante. Converse com a criança sobre a diferença entre itens básicos, como alimentos e roupas, e demais produtos, como brinquedos e presentes.

4. Defina o valor da mesada

A quarta dica é definir o valor que será depositado todo mês no cartão mesada. No livro Raising smart kids for dummies (John Wiley & Sons, 2011), que aborda conselhos básicos, Marlene Brill afirma que a mesada deve vir com regras e responsabilidades. E um passo essencial é avaliar o valor que o seu filho de fato precisa.

“Decida o que ele deve pagar por conta própria. Em seguida, adicione um pouco mais para recreação, economia ou talvez comprar seus presentes”, sugere.

5. Escolha o cartão mesada

Conforme já mencionamos, o cartão mesada é oferecido por diferentes instituições. Para facilitar, uma opção é pesquisar se o seu banco tem o recurso. Se não, mapeie as ofertas do mercado, compare as características dos cartões e selecione o preferido.

Com essas dicas em mente, escolha o cartão mesada do seu filho e siga o passo a passo para implementar o recurso corretamente na sua casa. Se você gostou das dicas deste artigo, compartilhe.