Black Fraude: 4 dicas para fugir das armadilhas

Por Redação IQ 360

Black-Fraude

Está com medo de cair em uma propaganda enganosa na Black Fraude?

Então, você precisa ter alguns cuidados para garantir que as ofertas da Black Friday realmente valham a pena.

Afinal, na Black Friday, é comum as empresas oferecem “tudo pela metade do dobro”  — criando uma verdadeira Black Fraude.

Além disso, sites falsos aproveitam a data para enganar usuários a fim de roubar dados pessoais.

A boa notícia é que algumas estratégias simples, como verificar a URL do site e comparar preços de ofertas, são eficazes nessa hora.

Para ajudá-lo a fazer boas compras na Black Friday, criamos este guia com as principais reclamações feitas por pessoas nos últimos anos e orientações para não cair em propaganda enganosa ou golpe. Confira.

Black Fraude e a propaganda enganosa

Black Fraude é um nome popular que se dá à Black Friday, tradicional sexta-feira em novembro em que o comércio oferece descontos.

Isso se deve ao fato de que, nessa época do ano, também há propaganda enganosa na oferta de produtos.

Você já ouviu aquela expressão “tudo pela metade do dobro”?

Pois é, aumentar os preços dos produtos antes da Black Friday para, no dia, oferecê-los pelo preço normal é uma das estratégias usadas pelas empresas.

Mas essa não é a única razão para a desconfiança em relação à Black Fraude.

Preços com valor maior no carrinho e frete mais caro também são algumas táticas usadas.

Além disso, nessa data, é comum circularem sites falsos, que imitam os originais das lojas, e promoções fraudulentas para roubar dinheiro e dados bancários de usuários.

De acordo com uma pesquisa da plataforma Promobit, em 2018, somente 59% das ofertas observadas na Black Friday eram confiáveis.

Por isso, ter cuidado rigoroso na hora de fazer compras é essencial para não cair em golpes e ficar exposto a práticas desonestas.

Principais reclamações sobre a Black Fraude

Segundo um levantamento do Reclame Aqui, de 21 de novembro de 2018 a 31 de janeiro de 2019, foram computadas 97.281 reclamações sobre a Black Friday daquele ano na plataforma.

Que tal conhecer, então, os principais tipos de Black Fraude para garantir boas compras?

Propaganda enganosa

Conforme vimos, uma reclamação recorrente é a estratégia utilizada pelas empresas de “tudo pela metade do dobro”.

As marcas aumentam os preços antes da data para vender os produtos com o preço normal, como se fosse ofertas imperdíveis.

Por isso, o ideal é acompanhar os preços durante o mês que antecede a Black Friday.

Mudança de preço ao finalizar a compra

Outra queixa comum é a alteração de preço quando o produto é adicionado ao carrinho de compras.

Nesse caso, o item aparece por um preço maior do que estava na página da oferta, e a mudança pode passar despercebida pelo usuário desatento.

Anúncios de produtos indisponíveis

Também é comum que usuários se deparem com promoções de produtos que estão em falta no estoque, o que gera insatisfação ao fazer as compras.

Preço do frete elevado

Na Black Fraude, usuários também se deparam com preço de frete mais caro que o normal, fazendo com que o transporte, dependendo do caso, tenha valor mais alto do que o próprio item comprado.

Atraso na entrega

Outra reclamação é o atraso na entrega devido ao volume de pedidos nessa época do ano.

Nesse caso, não são todas as empresas que informam um prazo de entrega maior, gerando insatisfação para o cliente.

Sites falsos

Na Black Fraude, há ainda sites falsos que imitam sites originais de lojas ou contêm vírus para roubar dados bancários de usuários ou fazer com que eles paguem, geralmente por boleto, por produtos inexistentes.

Como escapar da Black Fraude

Depois de conhecer as principais reclamações da Black Fraude, é hora de conferir os cuidados essenciais para escapar das armadilhas da propaganda enganosa. Fique atento.

1. Compare os preços das lojas

A dica é comparar as ofertas em diferentes propagandas, principalmente se você não tiver acompanhado os preços dos produtos com antecedência.

Dessa forma, fica mais fácil identificar se a promoção realmente vale a pena.

Para isso, utilize sites de comparação de preços, como Zoom, JáCotei e Buscapé.

2. Saiba identificar sites falsos

Avalie com critério se o site que você acessou é verdadeiro.

Preços muito abaixo da concorrência são sinais de alerta.

Analise a URL do site (o endereço), verifique se ela está escrita sem erros de ortografia, se possui as letras “https” e se, ao lado, aparece um cadeado verde indicando a segurança.

Não forneça seus dados em sites suspeitos ou desconhecidos.

3. Tenha cuidado com links de ofertas

Na Black Fraude, também é comum circularem e-mails e links no WhatsApp com ofertas falsas, que são tentativas de golpes.

Mesmo que o link se pareça com sites de empresas famosas, não clique nesses links, pois eles podem levar a sites com vírus.

De preferência, se estiver em busca de uma oferta específica, vá diretamente ao site oficial da loja e busque pelo produto.

4. Verifique os dados da loja

Outra estratégia de segurança é verificar dados sobre a loja no site e no Google, consultando se existe um CNPJ, se há informações de contato, endereço e fornecedores.

Em caso de Black Fraude, alerte o Procon

Se você identificar casos de Black Fraude, o ideal é fazer uma denúncia ao Procon, o Instituto Defesa do Consumidor.

Dessa forma, você ajuda a proteger outras pessoas contra fraudes.

O órgão também é uma fonte de informação para esclarecimento de dúvidas.

Além disso, caso você caia em algum golpe da Black Friday, entrar em contato com o Procon também é fundamental para receber atendimento pessoal.

Com essas dicas em mente, você já pode aproveitar os descontos da Black Friday e fugir das fraudes.

Acesse o site do iq para conferir outros artigos sobre o assunto.