Juros rotativos: o que são e 4 dicas para não cair neles

Por Maria Teresa Lazarini

juros rotativos

Cartões de crédito são a escolha de todo comprador que não deseja mexer no saldo da conta bancária. Para quem sabe se organizar financeiramente, é uma forma de jogar pagamentos para o futuro e se preparar para pagar, ao invés de gastar o dinheiro imediatamente.

Nem sempre essa é a melhor opção, claro, mas pode ser uma boa escolha se você conhece bem a diferença entre cartões de crédito e débito.

Uma vez que a escolha pelo crédito é feita, é preciso entender exatamente como ele funciona.

Muitas pessoas acabam em dívidas por não entender que o cartão de crédito tem seus próprios juros e taxas, perdendo o controle dos gastos por não antecipar esses custos, principalmente por causa dos juros rotativos.

Entenda o que é esse juro, quando ele é cobrado, como calcular e fugir das cobranças.

Saiba como ser aprovado para um cartão de crédito!

Confira dicas exclusivas no ebook iq para aumentar as chances de ser aprovado para um cartão de crédito

E-mail enviado com sucesso.

O que são juros rotativos?

Os juros rotativos são uma taxa cobrada quando o valor total da fatura não é pago. Muitas pessoas consideram as opções de pagamento do valor mínimo ou alguns dias de atraso como uma possibilidade para se organizar melhor, mas acabam enfrentando problemas por desconsiderar esse juro.

É importante saber que os juros rotativos podem ser muito altos, tendo chegado a uma média de cerca de 318,3% e novembro de 2019. Esse juro sobe continuamente durante o ano e, por isso, é importante estar sempre atento para não acabar em uma grande dívida.

Pode acontecer das taxas de juros mensais por atraso ou pagamento mínimo serem reduzidas pelo seu banco, no entanto, isso costuma significar um aumento na taxa de juros para parcelamento de fatura, então é importante estar sempre atento.

Você encontra a porcentagem que será cobrada descrita na fatura do cartão de crédito, basta calcular com calma para evitar surpresas no futuro e tomar a melhor decisão.

Como calcular Juro Rotativos?

Saber como calcular os juros é essencial para quem está tendo problemas para pagar a fatura mensal e precisa decidir como agir para quitar uma dívida e evitar criar outras.

Juros rotativos não são difíceis de serem calculados já que, como dissemos, a porcentagem desse juro e o valor final com impostos é apresentada mensalmente na fatura. O que você precisa fazer é:

  • Identificar a taxa de juros rotativos e o valor final com impostos na fatura.
  • Verificar o valor que não será pago naquela fatura e que será lançado para o mês seguinte.
  • Fazer as contas dos parcelamentos que vão cair no mês seguinte.
  • Somar os parcelamentos futuros ao valor que não será pago e aos juros e impostos.

Acompanhe esse exemplo para entender melhor.

Vamos supor que a fatura do mês de janeiro foi de R$1500,00 e você só foi capaz de pagar R$1000,00 desse valor. Isso significa que no mês de fevereiro você terá R$500,00 não pagos para serem acrescentados a fatura.

Ao somar as parcelas em aberto e verificar os comprovantes de compra, você verifica que a fatura do mês seguinte será de aproximadamente R$300,00.

Até esse momento, então, sua fatura de fevereiro será de R$800,00. No entanto, ainda é necessário somar os juros que, segundo a fatura de janeiro, serão de R$50,00.

Isso significa que o total da fatura de fevereiro, se você não realizar mais nenhuma compra no cartão de crédito, será de R$850,00.

5 dicas para não cair nos juros rotativos

Apenas usando seu cartão de crédito de maneira correta é possível evitar juros rotativos e cair em dívidas que você não consegue resolver. Acompanhe algumas dicas para melhorar seu controle financeiro e evitar problemas:

1. Faça um planejamento de compras

Gastos impulsivos no cartão de crédito são um grande risco. Nem sempre utilizar a função crédito é a melhor opção para uma compra e ter consciência de seus gastos é essencial.

Sempre que o valor do produto for baixo e você tiver dinheiro em espécie ou no débito faça o pagamento na hora, evitando taxas, juros e uma fatura mais alta que o necessário.

Pense também em compras futuras que não poderão ser evitadas. Se você sabe que tem um gasto grande para ser feito no mês seguinte e que precisará do limite do seu cartão livre ou irá gerar uma fatura muito alta, talvez seja melhor evitar uma compra no crédito agora, não?

2. Tenha controle financeiro

Saber quando e onde você está usando seu cartão de crédito é essencial para evitar dívidas ou situações que resultem em juros rotativos. Controlar os custos, qual o valor que já está acumulado para a próxima fatura e até qual valor você é capaz de pagar é essencial.

Controle financeiro ainda te ajuda a identificar fraudes de cartão, duplicação de cobranças e cobranças indevidas. Apenas sabendo onde o cartão está sendo usado é possível identificar essas irregularidades na fatura. Sempre confira as compras antes de realizar o pagamento.

3. Pense duas vezes antes de parcelar

O parcelamento é muito bom para evitar um valor mais alto no mês seguinte, porém ele também significa que você vai passar mais tempo pagando por uma compra. Talvez os R$80 reais da parcela não sejam um problema dentro de 30 dias, mas em três meses pode fazer a diferença entre conseguir ou não pagar uma fatura.

Evitar o parcelamento, quando possível, é sempre a melhor opção, principalmente quando juros são cobrados no parcelamento. O controle financeiro pode te ajudar muito a decidir sobre isso.

4. Cuidado com datas de vencimento

A data de vencimento do seu cartão, em geral, é decidida pelo usuário. Esquecer de pagar dentro do prazo faz com que juros sejam cobrados e pode gerar dívidas muito grandes e te fazer perder o controle.

Tome sempre cuidado para não atrasar o pagamento e escolha uma data na qual você sabe que terá dinheiro. De nada adianta colocar o vencimento da fatura para o fim do mês se você sabe que seu salário não dura até lá.

Organizar suas finanças para ter dinheiro para pagar essa conta dentro do prazo é essencial.

5. Utilize tecnologias de controle de gastos

Controlar quanto se está gastando no crédito pode ser difícil, principalmente se você não está acostumado. Existem diversos aplicativos e planilhas que podem ajudar no controle financeiro.

Muitos softwares são interligados com o aplicativo do seu cartão, de forma que toda vez que você o utiliza os dados da compra são automaticamente inseridos no programa. Eles te mostram quando e onde a compra foi feita, quanto já foi gasto do seu limite, qual o valor da fatura seguinte até aquele momento e calculam as taxas de juros.

Utilizar as tecnologias disponíveis no mercado é uma das maneiras mais eficientes de manter o controle financeiro.

Controle financeiro do cartão de crédito: essencial para fugir de dívidas

Saber como você está gastando seu dinheiro já muito importante, mas, mais importante ainda, é saber quanto você terá que gastar no futuro e saber se terá como pagar essas dívidas.

Cartões de crédito podem ser um aliado ou inimigo do consumidor, tudo depende de quão bem você entende sobre o assunto e de tomar decisões conscientes.

Fique sempre de olho nos gastos e evite cair em juros rotativos sempre para evitar dívidas altas demais para serem pagas.

Quer saber como usar da melhor forma possível seu cartão de crédito? O iq te explica tudo o que você precisa.