IOF do cartão de crédito: qual é a alíquota?

Por Redação IQ 360

O IOF do cartão de crédito costuma ser uma preocupação de viajantes na hora de comprar no exterior. Não é à toa: a alíquota cobrada é um peso a mais no orçamento ao pagar a fatura.

Mas isso não significa que o cartão não deva ser usado em nenhuma hipótese. O ideal é ter uma estratégia para otimizar os custos ao fazer uma viagem. Curioso para entender melhor o assunto?

Durante a leitura, descubra qual é o IOF do cartão de crédito e quais alternativas utilizar para fugir dele.

Tem IOF no cartão de crédito?

Para entender como o IOF incide no cartão de crédito, primeiro é necessário entender o que é essa cobrança. IOF é a sigla para Imposto sobre Operações Financeiras. Como o próprio nome diz, trata-se de um imposto federal que deve ser pago por pessoas físicas e jurídicas em operações financeiras.

As compras no cartão de crédito em território nacional, por si só, não têm cobrança de IOF. Mas, quando você faz alguma transação considerada como operação financeira, aí, sim, existe a cobrança. Para ficar mais fácil, vamos aos exemplos.

O IOF pode ser cobrado, por exemplo, quando o cliente paga a fatura do cartão com atraso. Nesse caso, ele entra na linha de crédito rotativo, que é considerado uma operação financeira.

Outro exemplo são justamente as compras no exterior: nelas, o cliente vai, necessariamente, ter que pagar o IOF. Já a alíquota de IOF cobrada varia de acordo com o tipo de operação financeira e o valor referente a ela.

Qual é o IOF do cartão de crédito?

O IOF do cartão de crédito atualmente é de 6,38% para compras no exterior, inclusive para compras online. Essa alíquota é cobrada sobre o valor da compra já convertido em reais.

Ao realizar esse tipo de operação antes, o valor da fatura variava conforme a cotação da moeda no dia de fechamento. Era uma desvantagem devido à flutuação na cotação das moedas estrangeiras.

Porém, desde 1º de março de 2020, entrou em vigência uma nova regra definida pelo Banco Central: a de que bancos devem fazer a conversão de gastos no exterior em dólar e euro com cartão de crédito com base na cotação do dia da transação.

De qualquer forma, continua interessante fugir do cartão de crédito (e da incidência do IOF). Uma possibilidade, então, é reservar esse recurso apenas para emergências e imprevistos. Afinal, ter uma garantia extra no país de destino é sempre importante para evitar sufocos.

Como evitar o IOF do cartão de crédito em viagens

Se o ideal é evitar o IOF do cartão de crédito em compras no exterior, então, você precisa lançar mão de outros recursos. A seguir, descubra três opções mais vantajosas para serem utilizadas em viagem:

Cartão de débito

O cartão de débito pré-pago tem a mesma alíquota de IOF em compras no exterior: 6,38%. Sendo assim, por que ele é uma alternativa?

A vantagem está no controle financeiro. Como ele funciona por meio de recargas, é possível ter um controle maior sobre o valor que você pode gastar durante a viagem, ao contrário do cartão de crédito, que permite utilizar o limite.

Dinheiro em espécie

O dinheiro em espécie é uma opção para pagar IOF mais baixo. Ao comprar moedas estrangeiras em dinheiro vivo, você paga uma alíquota de 1,1% sobre o valor total.

Comparada à alíquota de 6,38%, a alíquota do dinheiro em espécie é bastante atraente para quem viaja. Mas a desvantagem é a segurança reduzida de levar dinheiro vivo: sempre há as possibilidades de perda e roubo.

Transferência bancária internacional

Outra alternativa é fazer transferência bancária internacional. Nesse caso, você transfere dinheiro da sua conta bancária no Brasil para uma conta bancária no país de destino.

Apesar disso, é uma opção restrita a quem tem conhecidos de confiança morando no país que será visitado ou a quem possui uma conta no exterior para investimentos.

Em relação ao IOF, a alíquota é menor: 0,38% para transferência bancária internacional para contas de titularidade diferente e 1,1% para transferência bancária internacional para contas de mesma titularidade.

Cartão de crédito em viagens

Como você pode ver, cada forma de pagamento tem vantagens e desvantagens. Em viagens, o cartão de crédito tem a alíquota mais alta de IOF. Ao mesmo tempo, é um recurso útil para não enfrentar problemas em imprevistos no exterior.

Já o dinheiro vivo tem a menor alíquota, mas não oferece a mesma segurança. Ou seja: não há uma opção que possa ser usada de forma isolada.

Portanto, a dica é diversificar as formas de pagamento durante as viagens. Uma possibilidade é a de levar dinheiro em espécie referente à metade do valor que você pretende gastar. Para a outra metade, você pode usar o cartão de débito, por exemplo.

E então, ficou claro como funciona o IOF no cartão de crédito? Se as dicas deste artigo foram úteis, acompanhe o nosso site para mais informações!