Compras em Viagens Internacionais: Usar Dinheiro ou Cartão?

Por Redação IQ 360

Compras em Viagens Internacionais: Usar Dinheiro ou Cartão?

Em viagens ao exterior, nem sempre é fácil usar dinheiro vivo para as compras e gastos rotineiros. Seja por segurança ou comodidade, andar com dinheiro pode ser um problema. Por isso, o uso de um cartão de crédito internacional se torna uma opção viável para quem está viajando fora do país. Por outro lado, o cartão está atrelado a variações futuras do dólar, além de ser um pouco mais caro.
Portanto surge a dúvida: é melhor usar dinheiro ou o cartão de crédito?
Ambas as opções têm as suas vantagens e desvantagens, que serão expostas neste artigo.

Saiba como ser aprovado para um cartão de crédito!

Confira dicas exclusivas no ebook iq para aumentar as chances de ser aprovado para um cartão de crédito Política de Privacidade

Acesse seu E-mail para baixar o conteúdo.

Segurança e Descontos em Compras

Segurança
Seja aqui no Brasil ou em outros lugares do mundo, dinheiro vivo atrai a atenção de criminosos e golpistas.
Além disso, é mais fácil ser enganado com moedas falsas. Em Buenos Aires, na Argentina, por exemplo, um golpe comum aplicado por taxistas é devolver troco a seus passageiros com moedas falsificadas.
Por outro lado, se você se encontrar em uma situação emergencial de saúde, por exemplo, poderá necessitar de dinheiro vivo para pagar remédios e médicos.
Contudo, de um modo geral, na questão de segurança o cartão de crédito leva vantagem em relação ao dinheiro vivo.
Descontos em compras
Em alguns países, é comum a prática de oferecer descontos para compras pagas com dinheiro vivo. Em países com moedas desvalorizadas frente ao dólar, como é o caso de muitos sul-americanos, os comerciantes apreciam pagamentos em dinheiro, especialmente em dólar.
É possível ter bons descontos ao comprar produtos pagando com dinheiro vivo, o mesmo não ocorre com o cartão de crédito.
Desta forma, quando o assunto é negociar com o comerciante um desconto, o dinheiro vivo é trunfo nas mãos do consumidor.

Câmbio, Impostos e Comodidade

Câmbio e Impostos
O câmbio afeta tanto cartões de crédito quanto dinheiro vivo. O câmbio das moedas estrangeiras, em relação ao real, será aplicado para conversões em dinheiro ou posteriormente, ao cartão de crédito.
Com os cartões de crédito, o câmbio sempre será para o dólar. Por exemplo, em uma viagem para um país da Zona do Euro, na Europa, ao fazer as compras em euro, o valor será convertido em dólares e, posteriormente, em reais, para constar em sua fatura.
Já com o dinheiro vivo, as variações das conversões das casas de câmbio seguem o mercado, além de serem aplicadas taxas e impostos ao dinheiro trocado.
Na compra de dólares em papel moeda em casas de câmbio, é cobrado o dólar turismo que é mais caro que o dólar comercial. A justificativa para ser mais caro é o gasto com o manuseio e segurança das moedas fisicamente. O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) cobrado nessa operação é de 1,1%.
No uso do cartão de crédito, geralmente o câmbio utilizado é o do Dólar PTAX (que é muito próximo ao do dólar comercial) acrescido de um spread (que varia geralmente de 1% a 4%). Além disso, o IOF é de 6.38%, o que faz com que o dólar pelo cartão de crédito seja mais caro que o dólar pela casa de câmbio.
Comodidade
Para este ponto, ambos os modos de pagamento têm as suas vantagens e desvantagens.
Imagine-se indo, por exemplo, ao Paraguai, aonde R$ 1 vale quase 2.000 Guaranis, a moeda local. Trocando R$ 500, ao chegar ao país, você terá 1 milhão de Guaranis.
A maior moeda paraguaia é a de 50.000, desta forma, se antes você estava com cinco notas de R$ 100, agora você estará com 20 de 50 mil Guaranis, um verdadeiro bolo de moedas na carteira. Este problema não existe com o cartão de crédito.
Porém, em uma feira de rua, aonde os cartões de crédito não costumam ser aceitos, ou em um país cuja rede de internet e celular não seja adequada e as maquinhas de cartão param de funcionar constantemente, ter dinheiro em mãos será uma grande vantagem.

Conclusão

É recomendado levar tanto dinheiro vivo quanto o cartão de crédito, não optando exclusivamente por uma opção ou outra. Você poderá precisar de ambos durante a viagem, e é sempre bom ter mais do que uma opção.
Procure se informar sobre as tarifas locais, condições do câmbio em cada país e conhecer as moedas. Dessa forma, você evita cair em golpes. Pesquise também sobre a rede de aceitação de cartões no país que irá visitar e verifique se seu cartão de crédito pode ser usado internacionalmente.
Desta forma, você evitará contratempos e surpresas, podendo se focar no que é o mais importante: aproveitar a viagem!

Você sabia que o Brasil é o país que mais usa cartão de crédito na América Latina? Confira a pesquisa que o iq fez para mostrar como o cartão de crédito é importante no cotidiano do brasileiro.